• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Revivendo o amor…

Na adolescência, ele surge, manifestando-se de muitas formas.
Percebe-se que ele chegou ao coração da menina, com anseios de mulher, quando ela passa a se demorar nos cuidados pessoais.
O cabelo nunca está bom. Hoje ela o quer liso, depois, encaracolado, mudando a cor, alterando o corte.
Ela se olha no espelho de frente, de lado, pelas costas. E nunca está bem.
Batom, perfume, maquiagem. Roupa mais justa, roupa mais larga, mais curta. Uma sessão interminável de gostos, segundo a moda.
E, mais de uma vez, já no portão de casa, volta correndo, para tornar a se olhar no espelho.
Passa pelo pai e pergunta: Estou bonita, pai?
Afinal, a opinião de um homem é importante.
Quando o menino, que sente em si os ardores da masculinidade, o descobre, todos na família percebem.
Porque o banho é demorado e freqüente. A roupa é escolhida com detalhes.
O cabelo – ah, o cabelo – é o item mais trabalhado. Raspar bem o rosto ou deixar crescer a barba? Que indecisão!
A grande pergunta é: Como as meninas gostam mais?
O motivo de tudo isso chama-se amor. Algo diferente que faz bater o coração no cérebro, tremer as pernas, gaguejar, suar nas mãos.
É um sentimento diferente pelo sexo oposto.
Há pouco se digladiavam, considerando-se verdadeiros inimigos.
Os meninos eram chatos. As meninas, umas tolas.
Agora, aquele olhar, um simples olhar de um para o outro é capaz de os fazer alçar às nuvens.
É belo esse período da descoberta desse doce sentimento. Não é o mesmo amor que se tem para com os pais, para com os irmãos, os avós, os amigos.
É um sentimento que fomenta o desejo de estar ao lado do outro; que tem a capacidade de fazer sonhar de olhos abertos; de acreditar que tudo se realizará, no futuro próximo; que a felicidade é plena, rósea, permanente.
Amor, enamorados. Gestos de carinho, olhares perdidos no vazio que, em verdade, se plenificam com a imagem do objeto do amor.
Caixas de chocolate, flores, pequenos mimos.
Você, que já ultrapassou a linha da adolescência; que está namorando a mesma pessoa há anos;
que está casado, já é pai, avô – você recorda como eram apaixonantes aqueles dias de sonho, esperanças, castelos no ar?
Talvez você diga que passou da idade, que adolescência é adolescência.
Acredite: a época de amar não acaba nunca. Não importa a estação do ano.
Quando se ama, há sempre flores e perfumes no coração.
Por isso, neste dia dos namorados, surpreenda seu amor, mesmo que você já esteja desabituado a gestos creditados aos extremamente apaixonados.
Mostre que você ainda é o galã dos sonhos dela. Convide-a para passear, para dançar, para um jantar.
Saiam sozinhos. Voltem a sonhar, olhando a lua e as estrelas, que deverão estar brilhando só para vocês dois. Redescubra o amor que um dia os uniu.
Ofereça flores, diga palavras de carinho, lembre como ela ainda está bonita.
A madurez dos anos lhe fez tão bem!
Aprume-se como um garoto saindo pela primeira vez com a namorada.
E descubra que o amor jamais envelhece. Porque o amor é o sentimento mais sublime que Deus nos permite alcançar.

 

Fonte: Desconhecida

Relacionados

Open chat