• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Williams não resiste a Mercedes, Nico vence e Massa chega em 4º na Áustria

 Williams não resiste a Mercedes, Nico vence e Massa chega em 4º na Áustria
Digiqole ad

O conto de fada da Williams, com Felipe Massa largando na pole position e Valtteri Bottas completando a primeira fila, não resistiu às 71 voltas do GP da Áustria deste domingo, válido pela oitava etapa da temporada. Com um ritmo mais forte e um bom trabalho de boxes, a Mercedes retomou a ordem natural das forças em 2014 e garantiu mais uma dobradinha com Nico Rosberg na frente e Lewis Hamilton em segundo. O finlandês ganhou a posição de Massa nos boxes, e garantiu o terceiro lugar no pódio, o primeiro da Williams no ano, seu primeiro na carreira.

Pole position, Massa liderou a prova até a rodada de pit stops. Mas em razão de um trabalho lento da Williams nos boxes, o brasileiro acabou sendo superado pela dupla das “Flechas de Prata” e por seu companheiro de equipe. Daí em diante, tentou recuperar terreno, mas não chegou a ameaçar a terceira posição do finlandês. Se nem a sonhada vitória e nem o pódio vieram, Massa tem o consolo de ter alcançado seu melhor resultado no ano.

Rosberg, que assumiu a ponta nos boxes, chegou à terceira vitória em 2014, seu sexto triunfo no ano, superando a marca do pai Keke, campeão mundial de 1982. Depois de uma primeira volta espetacular, onde pulou da nona para a quarta posição, Hamilton terminou em segundo e conseguiu minimizar o prejuízo. Agora, restando 11 corridas para o fim do ano, o alemão da Mercedes lidera o campeonato com 165 pontos, contra 138 do britânico. Com os 12 pontos marcados neste domingo, Massa chegou aos 30 e subiu da 11ª para a nona posição na classificação.

A corrida
Felipe Massa largou bem e manteve a ponta. Quem também arrancou bem foi Rosberg, que tomou o segundo lugar de Bottas. Mas o finlandês da Williams recuperou a posição curvas depois. Largando em nono, Hamilton fez uma primeira volta excepcional: passou Raikkonen e Kvyat nos primeiros metros, deixou Magnussen, Ricciardo e Alonso para trás em seguida, colando no companheiro de Mercedes e anulando o prejuízo da rodada na classificação.

Na abertura da segunda volta, Vettel amargou mais um capítulo do martírio que vem passando por este ano. Sua RBR perdeu tração e ele ficou lento na pista. Um giro depois, o carro voltou a funcionar e ele voltou a acelerar, mas a essa altura já tinha levado uma volta de todos os adversários.

Nas primeiras cinco voltas, Massa abriu 1s de vantagem para Bottas. Os carros da Williams mostraram um bom ritmo, mantendo uma vantagem segura para as quase imbatíveis Mercedes de Rosberg e Hamilton. Em quinto aparecia Alonso, seguido por Magnussen, Raikkonen, Hulk e Kvyat.

Hulkenberg abriu as atividades nos boxes na décima volta. Rosberg fez seu pit stop dois giros depois, trocou os pneus supermacios pelos macios e retornou em quinto. Hamilton fez sua parada na sequência e voltou logo atrás do parceiro.

As Williams preferiram manter seus pilotos na pista por um pouco mais de tempo. Com os pneus gastos, Massa virava mais lento que os pilotos da Mercedes. Somando-se a um pit stop não tão rápido, o brasileiro acabou voltando entre Rosberg e Hamilton. O britânico aproveitou o embalo e deixou Massa para trás ainda na primeira curva do circuito. Já Bottas fez um pit 1s2 mais veloz que Felipe e voltou à frente dele e de Lewis também. A liderança, nesse momento, era de Pérez, que apostava em uma estratégia de uma parada a menos que os demais.

A corrida, então, se tornou um comboio formado por Pérez, Rosberg, Bottas, Hamilton e Massa, todos separados por uma diferença de cerca de 1s. Na 23ª volta, a Mercedes pediu para Lewis tomar cuidado para não deixar o freio aquecer demais, problema que lhe tirou da prova anterior.

Sem ter parado nos boxes ainda, Pérez pagou caro pelos pneus desgastados. Foi ultrapassado por Rosberg e Bottas na volta 27 e por Hamilton, na 28. A expectativa, então, era para a aproximação de Massa no mexicano, reeditando o duelo que terminou em acidente na última corrida. Mas Pérez foi para os boxes.

No meio do pelotão, Kvyat perdeu o freio de sua STR, saiu na grama e abandonou.
Após ficar preso atrás de Pérez, Felipe acabou perdendo contato com os três primeiros colocados. Mas o primeiro colocado Rosberg deu uma escapada, sozinho, e viu Bottas colar e ameaçar sua liderança.

Lá atrás, o último colocado Vettel continuava a sofrer. Ao tentar ultrapassar Gutiérrez, o tetracampeão tocou na Sauber e quebrou a asa dianteira. Depois de trocar a peça, a RBR decidiu chamar o alemão para recolher o carro e poupar equipamento para as próximas provas.

Hamilton inaugurou a segunda rodada de paradas, na volta 39, mas com um trabalho lento dos mecânicos. Rosberg foi para os boxes no giro seguinte e contou com um pit stop mais veloz. Bottas parou na 41 e retornou comboiando as duas Mercedes. Já Massa, fez seu pit na 44 e voltou logo atrás de Pérez. O líder de momento era Alonso.

Com a ida do espanhol da Ferrari para os boxes na 48ª passagem da prova, Rosberg retomou a liderança da prova. A vantagem do alemão para Hamilton era de 1s5. A essa altura, a dupla da Mercedes já tinha colocado ordem na casa e aberto boa vantagem para Bottas, Pérez e Massa.

A 15 voltas do fim, o mexicano da Force India fez seu segundo pit stop e deixou o caminho aberto para Felipe tentar caçar Bottas e tentar um lugar no pódio.
A diferença entre os pilotos da Williams era de cerca de 5s. Mas o brasileiro começou a tirar entre três e cinco décimos por volta do finlandês. Na ponta, Rosberg conseguia administrar uma margem de segurança de 2s para Hamilton. O britânico se aproximou do companheiro nas voltas finais.

 

Crédito: Globo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat