• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.7828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Três genes determinam tipos de pelo de cães, diz estudo

Digiqole ad

Como o cachorro ganhou seus pelos? Kipling nunca ponderou sobre essa questão – ele estava mais preocupado em como o leopardo ganhou suas pintas, entre outras coisas -, mas os cientistas sim. E a resposta, relatada na revista Science, está em apenas três genes.

Edouard Cadieu e Elaine A. Ostrander, do Instituto Nacional de Pesquisa do Genoma Humano, parte do Instituto Nacional de Saúde, nos Estados Unidos, e outros colegas analisaram as diferenças genéticas entre raças únicas que possuem mais de um tipo de pelo. Cães de raça pura são particularmente apropriados para esse tipo de estudo, disse Ostrander, porque sua reprodução é feita de forma seletiva, para segregar certas características – há daschunds de pelo curto e de pelo longo, por exemplo.

Os pesquisadores então usaram essa informação para examinar um grande conjunto de dados de informação genética de cerca de 900 cachorros, representando 80 raças. Eles conseguiram identificar mutações em pontos específicos (loci) em três genes ligados ao comprimento do pelo, à ondulação e ao padrão de crescimento (sobrancelhas espessas, barbas e outras características).

Depois eles investigaram esses três loci nos genes de outros 662 cães, representantes de 108 raças – do peludo cão pastor inglês ao buldogue de pelo curto. Eles descobriram que a presença das mutações, ou sua ausência, em diversas combinações, era responsável pela variação no pelo em 95% das raças. Apenas algumas raças, incluindo os galgos afegãos, têm pelos que não podem ser explicados por esses genes.

Há uma certa elegância nessas descobertas, disse Ostrander. “Olhamos para muito da complexidade do mundo ao nosso redor e dizemos, ah Deus, o fundamento genético deve ser tão complicado”, afirmou. “Mas estamos começando a sentir que, de fato, a natureza é simples.”

O objetivo final, disse Ostrander, é usar o mesmo tipo de técnica de amostra e comparação para descobrir como as variações genéticas se combinam para causar doenças em humanos.

 

Crédito: Terra

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat