• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Sem Bruninho e com atuação segura de Lucarelli, Brasil vence a terceira

 Sem Bruninho e com atuação segura de Lucarelli, Brasil vence a terceira
Digiqole ad

O aviso foi dado pelo técnico Tuomas Sammelvuo. O Brasil encontraria do outro lado da rede uma equipe que tem como característica nunca desistir. E foi com esse espírito que a Finlândia enfrentou os brasileiros, nesta sexta-feira, na Spodek Arena. Deu trabalho, deixou Bruninho – ainda se recuperando de uma contusão no dedo da mão – agitado na lateral da quadra. Mas não conseguiu evitar a terceira vitória seguida dos tricampeões, que asseguraram por antecipação a vaga na segunda fase do Mundial da Polônia: 3 sets a 0, parciais de 27/25, 25/21 e 26/24. Maior pontuador 19 pontos, sendo seis em aces, o ponteiro Lucarelli foi o grande nome do triunfo.

Os três pontos conquistados mantiveram a seleção na liderança isolada do Grupo B, agora com nove pontos, sem ter cedido um set sequer.

– Foi uma excelente partida, um jogo muito duro. No fim, foi a maior adrenalina, e eu tive a felicidade de fechar o jogo. Foi uma vitória muito importante por causa dos três pontos – afirmou Lucarelli.

O próximo compromisso do time comandado por Bernardinho será neste sábado, às 15h15 (de Brasília) conta a Coreia do Sul. A partida terá transmissão do SporTV e cobertura em Tempo Real no GloboEsporte.com. Os assinantes do SporTV também podem acompanhar todos os lances pelo SporTV Play.

O JOGO
O barulho fazia lembrar uma partida da Polônia. Uma onda azul e branca tomou conta do ginásio e colocou pressão sobre o Brasil. Os jogadores também. Conseguiam equilibrar as ações para alegria do técnico Tuomas Sammelvuo (9/9). Lucarelli e Wallace faziam a seleção respirar (16/14). Os adversários variavam o saque e tinham no capitão Antti Sitala uma de suas armas. Tudo igual (18/18). Bernardinho subia a rede colocando Vissotto em quadra.

Os finlandeses fugiam de seu bloqueio e pouco depois tomavam o comando do placar (23/22). Bernardinho pedia tempo. Na volta, Rapha acionava Lucão. Novo empate. A Finlândia teve sucesso no ataque seguinte e desperdiçou a primeira chance de fechar o set com um serviço na rede. Também perdeu a segunda, ao não conseguir parar Wallace. A vantagem mudou de lado graças a Sidão. A torcida desistiu de ficar de pé. Parecia pressentir o que estava por vir. Um bloqueio de Rapha garantiu o set: 27/25.

Sentado no banco de reservas, com a mão direita imobilizada, Bruninho se levantava a cada ponto para vibrar como se estivesse dentro das quatro linhas. Conversava com Lucão e Felipe, trocava ideias com Rapha durante a parada técnica. Enquanto a discordância de uma marcação da arbitragem fazia os treinadores reclamarem, a seleção brasileira mantinha a concentração para fazer 11/9. Mas o bloqueio pecava, o que permitia nova aproximação dos rivais (18/18). Forçando o saque, a Finlândia passava a frente (19/18). A passagem de Lucarelli pelo saque, com direito a três aces, trouxe de volta a tranquilidade e arrancou sorrisos dos companheiros mais experientes. Dois a zero: 25/21.

Os finlandeses eram valentes. Ainda acreditavam que podiam prolongar a partida, abrindo 13/8. O Brasil não se abalava. Fazia a diferença cair para 13/11. Os adversários freavam a reação, colocando cinco pontos de frente (18/13). A seleção corria atrás do prejuízo e encostava (21/20). O empate veio com um bloqueio de Vissotto, e a virada com Lucarelli (23/22). Um toque na rede de Rapha deu o set point para a Finlândia. Bola para Lucarelli. Chão. Tudo igual (24/24). Na sequência, o ponteiro conseguiu mais um ace, o sexto, e deixou o Brasil a um ponto do triunfo. Coube a ele fechar o jogo e assegurar a vaga.

 

Crédito: Globo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat