• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Saúde Pública no banco dos réus

Digiqole ad

O MP ajuizou ontem ação para a realização de uma cirurgia de joelho por
artroscopia de uma paciente que está há 04 meses na fila de espera, com
dores permanentes, laudo indicando cirurgia em 30 dias e que a demora
poderá agravar suas condições de saúde.

Antes do ajuizamento, foi tentado que a Secretaria Municipal de Saúde de
Vacaria realizasse a cirurgia no tempo indicado pelo médico, porém,
tal solicitação não foi atendida, sendo então encaminhada a ação.
Em sede de liminar, o juiz Mauro Freitas da Silva atedeu o pedido do MP
e determinou a realização da cirurgia até o dia 16 de março pelo
Município, não sendo a mesma realizada, será sequestrado recursos para a
realização da mesma.

O promotor Luís Augusto relata que “esse não foi um fato isolado, todo o
dia há pessoas procurando o MP por carência nesta área, e na maioria das
vezes é encaminhada ação judicial, porém, chama atenção nesse caso, que
durante meses foi tentado junto aos Secretários Municipais que
realizessem triagem para verificarem casos prioritários nas cirurgias
eletivas e os próprios Secretários pediram que fosse intermediado pelo
MP a realização de cirurgias pelo método de artroscopia no Hospital
Nossa Senhora da Oliveira. Houve o comprometimento da realização dessa
triagem pelos Secretários e foi conseguido junto ao hospital a
realização desse tipo de cirurgia por um valor semelhante a de uma
cirurgia normal, e agora verificamos que nem a triagem foi feita e foi
negada a realização da cirurgia de artroscopia no HNSO pela Secretaria
de Saúde de Vacaria, tornando-se esse mais um caso de justiça por
inoperância do SUS ou de seus gestores”.

 

Crédito: MP Vacaria

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat