• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Região abalada com a tragédia ocorrida em Capão Grande

 Região abalada com a tragédia ocorrida em Capão Grande
Digiqole ad

A Polícia Civil através da Delegacia de Polícia de Vacaria, se fez presente, com quatro policiais civis, durante toda a tarde de ontem, terça-feira, dia 6, na localidade de Capão Grande no município de Muitos Capões, local em que Rogério Krohn, de 31 anos de idade, matou o sogro Agostinho Vargas Boeira, 54 anos, e a própria filha, Amábile Maria Boeira de apenas 1 ano e 2 meses de idade, além de ferir de forma leve sua sogra, Jocélia da Silva Boeira, de 51 anos de idade

Segundo o que se apurou no local, Rogério, que é natural de Concórdia- SC, utilizando-se de uma carabina Winchester, calibre .38, atacou o sogro no galpão da propriedade, desferindo dois tiros contra o mesmo, um no abdômem e outro no rosto.

Em seguida, ingressou na residência e, após luta corporal com sua sogra, que ainda implorou para que o agressor não machucasse a criança, desferiu dois tiros contra sua própria filha, acertando um tiro no rosto da menina, que estava sobre a cama de um dos quartos.

Logo após, a sogra do agressor correu para fora de casa, para pedir ajuda, momento em que Rogério desferiu um tiro na própria boca, morrendo na cozinha da casa.

Conforme informações do delegado de Polícia Civil, Anderson Silveira de Lima, o motivo do crime bárbaro ocorrido no local seria uma possível ação de vingança de Rogério contra sua esposa (que não estava no local), já que o casal estaria se separando, e por isso o autor acabou matando a sua própria filha e o sogro.

A Delegacia de Polícia de Vacaria vai instaurar inquérito policial para esclarecer as circunstâncias dos fatos ocorridos.

A Brigada Militar foi a primeira a chegar no local do crime e o IGP efetivou o levantamento pericial.

Na foto em destaque o local onde aconteceu os crimes bárbaros, aparecendo ao fundo o corpo caído de Agostinho Vargas Boeira na entrada do galpão coberto por um lençol azul.

 

Crédito: Adelar Gonçalves/Dep. Jornalismo e delegado Anderson Silveira de Lima

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat