• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Professores gaúchos marcam ato para 1º de outubro

Digiqole ad

O Cpers-Sindicato aprovou a realização de um ato político em defesa do piso nacional. A decisão foi tomada na manhã desta sexta-feira, em reunião do conselho geral em Porto Alegre. A ideia é alertar a comunidade para a ação de alguns governadores contra a aplicação do piso. A mobilização está programada para o dia 1º de outubro, às 18h, ainda sem local definido.

Segundo a presidente do Cpers, Rejane de Oliveira, serão convidados entidades estaduais e nacionais, trabalhadores, parlamentares e representantes do Ministério da Educação. “Queremos que cada um mostre a sua posição e o que realmente defende. Aqui no Estado, o governador Tarso Genro se comprometeu durante a campanha com o pagamento e agora não quer pagá-lo”, afirmou.

Rejane ressaltou que a decisão do governo de não aplicar o piso é um “ataque aos profissionais”. Segundo ela, o Executivo não está trabalhando a favor dos servidores, mas apenas por aqueles que recebem mais. “O piso representa dar mais dignidade aos trabalhadores e não é o que está ocorrendo”, disse.

Na reunião do conselho, professores de diversas regiões do Estado foram categóricas ao rejeitar a posição do governador gaúcho de ingressar, junto com outros chefes de Estado, com uma nova Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra a regra de aumento anual que segue valor estabelecido pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Tarso Genro alegou que o pagamento do valor é impossível para os governantes.

Ainda em estado de greve, os professores vão aproveitar a mobilização para marcar a data de uma nova assembleia geral da categoria, onde poderá ser decidida a deflagração de paralisação.

 

Crédito: Correio do Povo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat