• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Poucas chances a Pet na seleção viram motivo de queixas na Sérvia

Digiqole ad

Por que Petkovic pouco jogou pela seleção de seu país? A pergunta que intriga os rubro-negros não consegue ser respondida nem pelos conterrâneos do craque do Flamengo. Foram apenas sete partidas ainda pela antiga Iugoslávia e nenhuma depois da separação da Sérvia. Antigo parceiro de ataque de Pet no Estrela Vermelha, Darko Kovacevic também nunca entendeu por que o amigo “Rambo” quase não foi testado.

– É uma pergunta que todos se fazem na Sérvia. É um tema difícil: por que ele jogou pouco na seleção? Rambo sempre foi um grande jogador. Mas havia nomes como Mijatovic, Stojkovic e Savicevic na mesma posição… Mas ele merecia uma oportunidade – disse Kovacevic, por telefone, ao GLOBOESPORTE.COM.

Ídolo do Estrela Vermelha, Pet ganha a defesa dos torcedores do clube de Belgrado. O historiador Radovan Maksimovic, um dos maiores conhecedores da história da equipe, acha que desde a saída do “Rambo” para o Real Madrid, em 1996, o clube nunca mais teve um jogador do mesmo nível. Ao ser perguntado sobre o motivo do camisa 43 do Flamengo não ter sido convocado mais vezes, o pesquisador não soube responder:

– Nós também sempre quisemos saber isso.

Em outubro, o GLOBOESPORTE.COM conversou com o técnico da Sérvia, Radomir Antic. Apesar do bom relacionamento com Pet, o treinador descartou a convocação do jogador, de 37 anos, para a Copa do Mundo. Kovacevic, que jogou o Mundial de 1998, entende a posição de Antic.

– Rambo merecia uma oportunidade antes, agora com 37 é difícil. Antic tem uma base formada, a seleção é mais jovem – afirmou.

Em 2006, quando brilhava pelo Fluminense, parte da torcida e imprensa na Sérvia cobrou a convocação de Pet para a Copa da Alemanha. Porém, o meia não tinha bom relacionamento com Ilija Petkovic e não ganhou uma chance.

– Futebol eu sempre tive, mas nunca soube por que nunca fui chamado para a seleção. Pelo menos um jogo amistoso de despedida eu ficaria satisfeito – disse Pet recentemente.

Ex-jogador de Estrela Vermelha, Real Sociedad, Juventus e Lazio, Kovacevic encerrou a carreira no início deste ano quando defendia o Olympiacos. O sérvio teve que passar por uma operação no coração e foi aconselhado a pendurar as chuteiras, com 35 anos. Ao saber da notícia, Pet pegou o telefone e ligou para o ex-companheiro.

– Nós estamos sempre em contato. Rambo me ligou para conversar sobre a minha saúde, me deu ânimo. É um grande amigo, vou até ligar para ele para dizer sobre esta entrevista (risos). Acompanho sua carreira no Brasil, vi os gols olímpicos que ele andou fazendo – afirmou o ex-atacante, que atualmente mora na Grécia (veja os gols direto do escanteio no vídeo ao lado).

Kovacevic destacou a boa forma de Pet e disse que costumava conversar sobre o amigo com os brasileiros Dudu Cearense e Diogo, com quem atuou no Olympiacos. Quando estava no Juventus, também falava com Athirson sobre o futebol brasileiro. Para o ex-atacante, o Brasil é a nova casa do craque do Flamengo.

– Sei que Rambo é um grande ídolo no Brasil. Ele é quase um brasileiro, acho que vai continuar morando no Rio. Ele se encontrou no Brasil – concluiu.

 

Crédito: Globo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat