• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Portas em automático: Brasil perde para o Paraguai e volta para casa

 Portas em automático: Brasil perde para o Paraguai e volta para casa
Digiqole ad

Brasil, Paraguai, pênaltis, quartas de final, Copa América. Sabe-se lá de onde veio isso, mas a combinação virou drama para a seleção brasileira. Assim como em 2011, na Argentina, outra vez os paraguaios eliminam os brasileiros da competição sul-americana. Neste sábado, em Concepción, o time de Dunga começou o jogo dando aquela pinta de que não passaria sufoco, mas terminou asfixiado. Abriu o placar com Robinho no primeiro tempo, se encolheu de maneira inexplicável, tomou o empate de Derlis González em uma besteira de Thiago Silva e foi superado nas penalidades: 4 a 3. Não vai ter Brasil e Argentina na semifinal. Senhores passageiros, portas em automático. Dunga e seus comandados vão decolar. De volta para casa.  

O JOGO

Sobrou paciência para o Brasil no primeiro tempo. Os primeiros 15 minutos foram de bom toque de bola e tranquilidade. O Paraguai chamou o time de Dunga para o seu campo, e os brasileiros foram. O gol marcado por Robinho mostrou isso. Sem pressa, a Seleção abriu o placar a partir de uma bonita troca de passes. Daniel Alves, com mais um bom cruzamento na Copa América, deixou o santista em condições de marcar. Só que o gol fez o time diminuir o ritmo. E diminuiu demais. O Paraguai gostou e se assanhou, mas a vantagem foi mantida até a chegada do intervalo. Os problemas do Brasil aumentaram no segundo tempo. Como fizera contra a Argentina na fase de grupos, o Paraguai mudou o jeito de jogar. Passou a ser agressivo, cansou de jogar bolas na área brasileira e aí virou drama. Foi num lance assim que Thiago Silva vacilou, confundiu futebol com vôlei, basquete ou qualquer coisa que se jogue com as mãos, e deu um tapa na bola. Aí já era: pênalti e empate paraguaio. Houve um momento em que parecia que a vaga seria deles no tempo normal, mas por sorte o tempo passou rápido. 

PÊNALTIS

Fernandinho abriu para o Brasil e fez. Osvaldo Martínez empatou. Everton Ribeiro mandou para fora de um jeito inacreditável. Victor Cáceres, do Flamengo, colocou o Paraguai na frente. O capitão Miranda foi lá e marcou o dele. Bobadilla não vacilou e mantevem os 100% do Paraguai. Douglas Costa foi lá e isolou, lembrando aquela turma de 2011 que deu vexame também contra os paraguaios. Roque Santa Cruz tinha a chance de decidir, mas foi outro que jogou por cima do travessão. Frio, Philippe Coutinho marcou o dele e deixou o Brasil respirar por aparelhos. Só que Derlis González desligou tudo. Brasil eliminado.

SEMIFINAL

A semifinal entre Brasil e Argentina será disputada na próxima terça-feira, em Concepción, às 20h30 (de Brasília). A primeira semi, entre Chile e Peru, ocorre na segunda, em Santiago.

COUTINHO ACORDOU…QUASE

Em seu segundo jogo como titular nesta Copa América, o meia do Liverpool teve boa atuação. Não foi brilhante, mas mostrou-se mais à vontade e disposto. Philippe Coutinho se apresentou, buscou fazer tabelas e aplicou alguns dribles. O mais bonito deles no primeiro tempo, quando chapelou Bruno Valdez sem dó. No segundo tempo, o ritmo do camisa 21 caiu. E ele voltou para o casulo.

“TORCIDA DE TÊNIS”

Não foi tão silencioso quanto num jogo de tênis, mas o clima no estádio Ester Roa Rebolledo bem que lembrou o jogo da bolinha amarela. Foram quase 29.276 pessoas nas cadeiras, quase todo mundo chileno. Em vários momentos o público ficou caladinho. Nem o “Chi-chi-chi-le-le-le…Viva Chile!” empolgou. Mas a coisa mudou na segunda etapa. Com a disposição e o empate do Paraguai, eles decidiram apoiar  

“ROBERTO DORMINDO”

O novo jogador do Liverpool, que custou R$ 140 milhões ao clube inglês, fez partida discretíssima. Desempenho que não deve ter agradado nada aos torcedores dos Reds. Firmino parecia estar em outra dimensão. Foi sempre facilmente desarmado pelos adversários. Acabou substituído aos 23 do segundo tempo.

DE NOVO, THIAGO SILVA?

Colocar a mão na bola parece ter virado hábito para Thiago Silva. O zagueiro repetiu neste sábado o mesmo erro que cometeu no seu clube, o PSG da França. Aos 24 do segundo tempo, em disputa de bola pelo alto com Roque Santa Cruz, o zagueiro brasileiro colocou a mão na bola para afastá-la. O árbitro uruguaio Andrés Cunha não teve dúvida. Marcou pênalti, que Derlis González converteu.  

(Foto: Reuters

 

Crédito: http://globoesporte.globo.com/futebol/copa-america/noticia/2015/06/portas-em-automatico-brasil-perde-para-o-paraguai-e-volta-para-casa.html

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat