• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Polícia Civil prende autor de homicídio violento e covarde no Bairro Municipal

 Polícia Civil prende autor de homicídio violento e covarde no Bairro Municipal
Digiqole ad

Na manhã do último dia 26 de maio, a dona de casa Vera Lúcia Ribeiro dos Santos, de 40 anos de idade, foi encontrada morta em sua casa, no Bairro Municipal.

Na ocasião segundo a Polícia não havia vestígios de violência, apenas um pouco de sangue escorrendo do nariz e da boca da mulher. Esses vestígios, por vezes, aparecem em quem sofre acidente vascular cerebral.

A ocorrência foi registrada como encontro de cadáver, pois as primeiras informações não apontavam para morte criminosa.

A Polícia Civil adotou as primeiras providências, e dentre elas o encaminhamento do corpo a exame de necropsia para que fosse feita a verificação externa e interna do cadáver.

Era folga do médico legista de Vacaria e o corpo então foi levado para Caxias do Sul, onde foi realizada a perícia no Posto do DML daquela cidade.

Em casos de homicídios a Polícia corre contra o tempo, ou seja, quanto mais passa o tempo, mais difícil fica de solucionar.

Trabalhando nessa linha, o delegado de Polícia Anderson Silveira de Lima, titular da DP Vacaria não esperou pela chegada do laudo que em média é de 10 dias, e foi até Caxias do Sul no dia seguinte ao crime, juntamente com uma equipe de inspetores da Seção de Investigações da DP de Vacaria.

Lá entrevistaram longamente o médico legista que realizou a necropsia e ficaram sabendo que a mulher, embora não tivesse nenhum sinal externo de violência, havia sido severamente agredida com técnicas que não deixavam marcas:

A causa da morte foi hemorragia interna. Havia derrame hepático e também no pulmão direito da vítima. Além disso, o fígado e o pulmão estavam lacerados.

Diante da constatação, o companheiro da vítima foi o maior suspeito, pois havia desencontro de versões e notícias anteriores de violência.

Os policiais, através de depoimentos e diligências, constataram que o álibi e a versão do suspeito eram inconsistentes, e logo comprovaram que ele estava mentindo.

O álibi do suspeito foi totalmente desconstituído, e a investigação teve certeza de que ele estava na cena do crime, com a companheira.

Depois de bastante trabalho junto à comunidade (as pessoas não querem “aparecer”, temem..) , os policiais conseguiram encontrar testemunhas que declararam ter ouvido sons característicos de briga e os gritos de Vera.

Essas pessoas relataram que não intervieram por medo, em razão da violência do suspeito, e porque o suspeito já era acostumado a agredir a vítima.

Diante de provas importantes, a prisão do suspeito foi solicitada pelo delegado de Polícia Anderson Silveira de Lima, parecer favorável do Ministério Público, e foi decretada pela Justiça, sendo executada por volta das 7 horas da manhã de hoje, terça-feira, dia 18.

Além de executar a prisão, os policiais da Seção de Investigações da DP Vacaria também cumpriram Mandado de Busca na casa onde aconteceu o crime.

O suspeito prestará novo depoimento agora pela manhã, mas desta vez na já condição de indiciado por homicídio duplamente qualificado, com penas que variam entre 12 e 30 anos de prisão.

Ainda segundo informações do delegado Anderson, são sete o número de homicídios no ano em Vacaria e todos foram esclarecidos.

Esse da dona de casa Vera Lúcia Ribeiro dos Santos, foi o 6º homicídio, mas a Polícia Civil trabalhou em silêncio, sequer tratando publicamente o caso como homicídio, para não atrapalhar as investigações e não alertar o principal suspeito, que poderia interferir na apuração.

 

Crédito: Adelar Gonçalves/Dep. Jornalismo e delegado Anderson Silveira de Lima

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat