• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Polícia Civil prende 149 pessoas na Operação Neblina

Digiqole ad

A Polícia Civil divulgou, na manhã da última quinta-feira, dia 19, no Auditório Cícero do Amaral Viana, no Palácio da Polícia, em Porto Alegre, os resultados finais da Operação Neblina. Participaram da Operação, 909 policiais em 293 viaturas para o cumprimento simultâneo de 384 mandados de busca e apreensão em 81 cidades das 29 Regiões Policiais. A Operação ocorreu das 6h de terça-feira, dia 17 até as 17h da quarta-feira, dia 18 na Capital, Região Metropolitana, e em pequenas comunidades do interior do Estado.

A ação desenvolvida pelo Departamento de Polícia do Interior (DPI), e pelo Denarc, teve por objetivo reprimir o tráfico de drogas, em especial, nas pequenas cidades do interior do Estado, prendendo traficantes, foragidos e condenados, apreendendo drogas e objetos relacionados ao tráfico, armas e outros objetos.

A investigação ocorreu no período de 29 de julho a 13 de agosto, identificando pontos de venda de drogas, traficantes e seus fornecedores, os meios utilizados, além de definir as rotas utilizadas por eles. A Polícia Civil atuou de forma intensiva nos locais e ambientes onde ocorrem esses crimes, culminando com o cumprimento de busca e apreensão e mandados de prisão entre os dias 17 e 18 de agosto.

Segundo o delegado Luis Fernando Martins Oliveira, do Denarc, durante a Operação foram presas 149 pessoas, todas condenadas ou foragidas por tráfico de drogas. Destes presos, 77 foram em flagrante, 14 com mandado de sentença condenatória, 34 com mandado de prisão preventiva, 12 com mandado de prisão temporária, 12 estavam foragidos e dois foram mandados de busca de adolescente.

Foram apreendidas 40 armas, 19 veículos, 178,23g e 24 buchas de cocaína, 1.431,67 kg e 78 pedras de crack, e 4.677,69 kg de maconha. Também foram apreendidos R$ 30.697,57 em espécie, R$ 1.725,00 em cheques, cinco dólares, além de 20 pesos uruguaios.

Já no município de Porto Xavier, após o cumprimento dos mandados de busca e apreensão da Operação Neblina, a Polícia Civil vistoriou os portos clandestinos existentes ao longo da costa do Rio Uruguai, na fronteira com a Argentina. Nestes locais foi apreendido um barco a motor, utilizado para a travessia de mercadorias contrabandeadas, tendo sido apreendido em seu interior parte deste material. Foram apreendidos mais de 18 mil maços de cigarros, de procedência estrangeira, sendo que a maior parte estava em um depósito abandonado, não resultando assim em prisão por contrabando.

Estiveram presentes nessa operação, o chefe de Polícia, delegado Álvaro Steigleder Chaves, o subchefe de Polícia delegado Joel Souza de Oliveira, o diretor do Gabinete de Inteligência e Assuntos Estratégicos (GIE), delegado Hilton Muller, o titular da Divisão de Investigações Criminais, do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (DIC/Denarc), delegado Luis Fernando Martins Oliveira e a titular da Divisão de Assessoramento Especial, do Departamento de Polícia do Interior (DAE/DPI), delegada Áurea Hoeppel.

A Polícia Civil de Vacaria também fez parte da Operação Neblina, quando realizou da região o cumprimento de mandados de busca e apreensão com prisões em Vacaria e Bom Jesus, quanto ocorreu à repressão ao tráfico de drogas.

Através da DP Vacaria foi realizado operação no Bairro São José, e, posteriormente, em Bom Jesus.

Em Vacaria, os policiais civis ingressaram em uma residência localizada bem em frente à Escola Don Henrique Gelain, encontrando: nove televisores; quatro aparelhos de DVD; dois fornos de microondas, um forno elétrico; um auto-rádio marca Piooner; um saco contendo objetos de estofaria; cinco botijões de gás; uma balança digital; dez telefones celulares; um vídeo-game, duas bicicletas; uma espingarda calibre 12; munição de calibre 12; calibre 32 e calibre 6.35; uma pistola calibre 6.35; 422 pedras de crack embaladas e mais 135 pedras já fracionadas, mas não embaladas, totalizando 557 pedras de crack, e mais uma bucha de cocaína.

Dois homens, irmãos, foram autuados em flagrante por tráfico de drogas.

Segundo o delegado Carlos Alberto Defaveri, o ponto vinha sendo investigado pela Seção de Investigações da DP Vacaria aproximadamente 30 dias. Os objetos serão confrontados com ocorrências de vítimas de furtos, pois provavelmente foram furtados em residências e trocados por droga.

Em Bom Jesus, na continuidade dos trabalhos, uma pessoa, após investigações feitas pela DP Bom Jesus, foi presa em flagrante por tráfico de drogas em sua residência.

Munidos de Mandado de Busca, os Policiais Civis da DP Bom Jesus, com apoio de policiais civis de Vacaria, ingressaram na residência de uma pessoa conhecida popularmente como “Cabeça”, encontrando 15 pedras de crack, embaladas e fracionadas, além de dinheiro.

Segundo o delegado Vitor Fernando Boff, havia farto material que indicava que essa pessoa vinha realizando o tráfico em sua residência, utilizando também sua condição num clube em Bom Jesus. O homem foi conduzido até Vacaria, onde foi autuado por tráfico de drogas pelo delegado Carlos Alberto Defaveri e, posteriormente encaminhado ao Presídio Estadual de Vacaria.

Em outro bairro de Bom Jesus, uma mulher também foi presa em flagrante por tráfico de crack. Após as operações de Bom Jesus, o delegado Vitor Fernando Boff, que comandou os trabalhos, autuou a mulher em flagrante por tráfico de drogas, sendo ela também conduzida ao presídio onde fica à disposição da Justiça de Bom Jesus.

 

Crédito: DP de Vacaria

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat