• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Pardais e lombadas eletrônicas das rodovias federais gaúchas devem ser desligados antes do Natal

 Pardais e lombadas eletrônicas das rodovias federais gaúchas devem ser desligados antes do Natal
Digiqole ad

Os 260 controladores de velocidade instalados nas rodovias federais do Rio Grande do Sul devem ser desligados a partir do dia 23 de dezembro.

O motivo será o fim do contrato de cinco anos firmado com a empresa Kopp Tecnologia, em 2010. O mesmo vale para os pardais e lombadas eletrônicas instalados em Santa Catarina, que estão dentro do mesmo contrato assinado com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) gaúcho.

Dessa forma, os controladores instalados, por exemplo, na ponte estaiada da Rodovia do Parque, os que estão localizados na BR-101, no litoral norte gaúcho, e os da BR-386, param de funcionar.

Na BR-101, segundo dados da Polícia Rodoviária Federal, o número de acidentes e mortes diminuiu desde que os pardais começaram a multar.

Em 2012, quando os 12 equipamentos começaram a entrar em operação, foram registrados 389 acidentes, chegou a aumentar para 399 em 2013, mas caiu para 371 em 2014.

O número de mortes era de 29 em 2012. Diminuiu para 20 em 2013. E caiu para 14 no ano passado.

O DNIT está cogitando prorrogar o contrato até que uma nova licitação seja realizada.

O novo edital está sendo construído, mas não há qualquer previsão de publicação.

De acordo com o diretor de Infraestrutura Rodoviária, Luiz Antônio Garcia, a promessa é que os contratos serão prorrogado por um ano.

O assunto será tratado na próxima semana em Brasília.

“Eles vão ser prorrogados. Não haverá descontinuidade dos serviços”, garantiu o diretor em entrevista ontem, sexta-feira, dia 11.

Os controladores começaram a ser instalados no Rio Grande do Sul em abril de 2011. Os primeiros começaram a multar pouco mais de um ano depois. Eles monitoram 280 faixas de tráfego.

As rodovias estaduais ficaram quatro anos com pardais desligados devido a demora na realização de licitação. Por mais de meio ano, e pelos mesmos motivos, lombadas eletrônicas das rodovias estaduais também não funcionaram.

 

Crédito: Adelar Gonçalves/Dep. Jornalismo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat