• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Ozzy Osbourne comanda metaleiros com a facilidade das lendas

 Ozzy Osbourne comanda metaleiros com a facilidade das lendas
Digiqole ad

Sempre que Ozzy Osbourne se sentir desanimado, tiver uma briga mais séria com a Sharon ou quiser saber se ainda é aquilo tudo que foi, é só vir a Porto Alegre. Como já havia acontecido nas outras vezes em que veio à Capital (sozinho ou com seus parceiros de Black Sabbath), o morcegão foi recebido com barulho e carinho intermináveis pelos metaleiros gaúchos. E, durante o tempo em que ficou no palco do Zequinha – exatas 1h20min –, ele fez de tudo para agradecer: puxou grito, mandou beijinho, ajoelhou-se no chão duas vezes e sacramentou:

– Vocês são os fucking melhores!

Mas, também, show do Ozzy é uma barbada. Cercado de músicos mais jovens e dono de um cardápio de hits que já tem quase 50 anos, resta ao vocalista subir ao palco e fazer o que ele faz melhor: cantar. Antes da primeira música, o público já estava em chamas – diferente da frieza com que o Motörhead foi recebido ou o respeito com que o Judas Priest começou sua apresentação, Ozzy parecia um astro teen e, o público, menininhas menores de idade. Não é à toa que deram para o cara um reality show na MTV.

Musicalmente, o show foi bastante parecido com as outras apresentações de Ozzy em Porto Alegre: sucessos do Black Sabbath, como Paranoid e War Pigs, eram cantados até na parte instrumental, enquanto hits da carreira solo, tipo Mr. Crowley e Crazy Train, recebiam ânimo extra pela intensa movimentação do sessentão. Aliás, Ozzy parece saudável e animado, como já havia garantido ementrevista a ZH. O caminhar é aquele que a gente já conhece, mas ele pulou o tempo inteiro e não parava de jogar água nas primeiras fileiras de fãs com uma mangueira de bombeiro. Em determinado momento, como que para selar um pacto com a plateia, virou a mangueira para si e jorrou água na cara. 

Se é possível destacar uma diferença entre a apresentação do Black Sabbath e a de Ozzy solo em Porto Alegre é a seguinte: com sua banda original, o show toma ares de hard rock e stoner. Com os jovens músicos da carreira solo, a apresentação pende mais para o metal, com mais solos e dedilhados. Ao que parece, Porto Alegre aprova ambos. E Ozzy aprova Porto Alegre.

 

Crédito: http://zh.clicrbs.com.br/rs/entretenimento/noticia/2015/05/ozzy-osbourne-comanda-metaleiros-com-a-facilidade-das-lendas-4751530.html

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat