• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.7828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Operadoras planejam nova forma de cobrança para internet móvel

 Operadoras planejam nova forma de cobrança para internet móvel
Digiqole ad

Quem assina pacotes de internet móvel no Brasil já está bem familiarizado com o funcionamento dos planos oferecidos pelas operadoras: após o final da franquia contratada, o cliente segue navegando pelo celular ou pelo tablet, mas com velocidade reduzida, sem pagar nada a mais por isso. Mas essa realidade está prestes a mudar. As operadoras estão estudando um modelo diferente de plano, como o usado nos Estados Unidos e em países da Europa: o usuário, após o fim da franquia, será obrigado a contratar um pacote adicional, comprando mais megabytes (MB), para seguir conectado.

A primeira operadora a adotar a medida é a Vivo, que faz a mudança nos planos pré-pagos. Contatadas pela reportagem, Oi e TIM afirmam que também estudam as mudanças, mas não detalham como serão os novos planos.

No caso da Vivo, os novos planos pré-pagos passam a valer a partir de 6 de novembro no Rio Grande do Sul e Minas Gerais, mas podem ser estendidos para outros Estados nos próximos meses. No pacote, os clientes vão receber um SMS quando o consumo de dados atingir 80% da franquia e outro no momento em que ela acabar – este último já com a opção de contratação do pacote adicional de 50MB (que custará R$ 2,99 por 7 dias).

Segundo a operadora, o mesmo ajuste deverá ser implementado futuramente para os clientes de planos pós-pagos.

Outra operadora que já estuda a mudança é a Oi. Em nota, a empresa afirmou que “considera o fim da velocidade reduzida, aliada ao novo modelo de cobrança por pacotes adicionais, uma tendência mundial e está avaliando com atenção essa estratégia”.

– A Oi está atenta ao mercado e entende que as mudanças nos hábitos de consumo de dados podem afetar a experiência do usuário de internet móvel, gerando uma percepção negativa em relação à navegação no celular – afirmou a companhia em comunicado.

A TIM também afirmou que acredita que “mudanças no formato de tarifação de dados móveis são um movimento natural, em linha com o crescimento contínuo do uso de internet nos celulares e outros dispositivos”. A operadora, no entanto, diz não prever qualquer ajuste, por enquanto, e segue “avaliando as diferentes possibilidades”.

Questionada pela reportagem, a Claro apenas detalhou os planos de internet móveis atuais oferecidos aos clientes da empresa, sem mencionar mudanças na forma de cobrança.

 

Crédito: ClicRBS

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat