• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Nadal é campeão na Austrália e impede recorde de Federer

Digiqole ad

Em um duelo que durou quatro horas e 22 minutos, o número 1 do mundo Rafael Nadal impediu o rival Roger Federer, cabeça-de-chave número dois, de conquistar seu 14º Grand Slam na carreira, marca que igualaria o recorde do lendário Pete Sampras. O espanhol derrotou o adversário por 3 sets a 2, com parciais de 7/5, 3/6, 7/6 (7/3), 3/6 e 6/2, e foi campeão do Aberto da Austrália pela primeira vez na carreira.

Em sua 18ª final em Grand Slams, Roger Federer tentou igualar o americano, mas acabou derrotado pelo melhor tenista do mundo, segundo a ATP. Se fosse campeão, o suíço chegaria ao seu quarto título em território australiano.

Pelo lado de Nadal, foi a oitava decisão em Grand Slams do tenista, conquistando seu sexto título em um dos quatro maiores campeonatos do circuito.

No histórico de duelos entre os dois melhores tenistas do mundo na atualidade, o espanhol leva larga vantagem. São 13 vitórias do espanhol contra apenas seis do suíço.

Com a conquista deste domingo, só falta a Nadal o título do US Open para completar o circuito do Grand Slam. Coincidentemente, este foi o único torneio que acabou com o suíço ano passado.

O jogo

Para a decisão, cada um já tinha sua estratégia. Se Nadal apostava em forçar a esquerda de Federer com bastante efeito, o suíço sabia que sua maior chance seria aproveitar o cansaço do espanhol após a semifinal de quase seis horas diante de seu compatriota Fernando Verdasco.

Mas logo no primeiro game Nadal surpreendeu a todos, conseguindo a quebra. Federer devolveu, porém com um pouco mais de dificuldade, precisando de três break points.

Os tenistas mantiveram o serviço até o sexto game, quando o suíço quebrou novamente para fazer 4 a 2 e sacar. Porém, o adversário mostrou porque é considerado um dos tenistas de melhor preparo físico no circuito profissional. Ele rompeu o saque de Federer mais duas vezes e reverteu a desvantagem, sacando com 6 a 5.

O número dois do mundo pareceu ter ficado desmotivado com a virada de Nadal. Errando muito, ele permitiu que o adversário confirmasse o serviço, vencendo o primeiro set por 7 a 5.

Os tenistas confirmaram seus saques na segunda parcial até o quinto game, quando Federer acabou quebrado. A vantagem acabou deixando Nadal mais relaxado. Com dois erros seguidos, ele permitiu que Federer devolvesse a quebra e igualasse o placar novamente em 3 a 3.

Visivelmente se poupando, o espanhol permitiu que Federer chegasse ao 6 a 3 e empatasse o placar em 1 a 1.

O terceiro set começou em meio a quase duas horas de partida. E o início foi bem parecido com o anterior, com todos confirmando seus saques – Federer quase perdeu o dele no sexto game, salvando um break point.

Com o placar em 4 a 4 e sacando no nono game, o espanhol começou a sentir cansaço e errou bolas que não costuma. Federer conseguiu um triplo break point, mas não aproveitou e acabou desperdiçando uma boa chance de ficar em vantagem em um momento decisivo do set.

Em seguida, o suíço confirmou seu saque com facilidade e passou a pressionar Nadal novamente para tentar outra vez ficar à frente. Mas o espanhol, mostrando muita disposição, conseguiu salvar outros três break points e fez 6 a 5.

Errando muito, o suíço não resistiu aos golpes de fundo de quadra do espanhol e precisou se esforçar para reverter a vantagem do adversário. Com um ace, ele conseguiu levar a decisão ao tie-break.

No desempate, quem levou a melhor foi Nadal. Apesar do nervosismo no início com as marcações dos juízes, ele se aproveitou dos erros de Federer e conseguiu fazer 4 a 3, para depois confirmar os dois pontos seguintes – no sexto, acertou um voleio praticamente de costas.

O espanhol fechou o tie-break em 7 a 3 graças a uma dupla falta de Federer, liderando o placar geral por 2 sets a 1.

O quinto game, com Federer sacando, foi o melhor de toda a partida: ambos alternaram a vantagem constantemente, sempre em excelentes trocas de bola. O suíço acabou fechando e fazendo 3 a 2, ampliando depois no serviço de Nadal.

A movimentação baixou o rendimento do número um do mundo, que permitiu a Federer abrir 5 a 3 no seu saque. Aproveitando-se do cansaço do rival, ele fechou e levou a decisão para o quinto set.

Nadal parecia se poupar para a parcial decisiva, e foi justamente o que aconteceu: ele quebrou o suíço no quarto game, aproveitando os muitos erros, e depois fez 4 a 1, com muita agressividade no seu serviço.

Com uma quebra à frente, o espanhol voltou a segurar as forças para abrir 5 a 2 no seu saque, o que acabou conseguindo. Ele pressionou o suíço na sequência e conseguiu fechar o jogo por 6 a 2 após três match points, confirmando a condição de número um do mundo.

 

Crédito: Terra

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat