• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.7828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Mesmo desconcentrado, Brasil vence o Uruguai e vai à semi no Sul-Americano

Digiqole ad

Antes do jogo, o técnico José Roberto Guimarães avisou que o Brasil teria um adversário mais complicado na segunda rodada do Sul-Americano, nesta quinta-feira. Não chegou a tanto. O Uruguai, aliado aos erros brasileiros, mostrou mais desenvoltura e qualidade em quadra do que o Paraguai na estreia da competição, na quarta. Mesmo assim, a seleção brasileira garantiu a classificação para a semifinal ao vencer por 3 sets a 0, parciais 25/7, 25/14 e 25/17, no ginásio Tesourinha, em Porto Alegre.

Nesta sexta, a seleção brasileira volta à quadra para enfrenta a Argentina, no mesmo local, às 19h. Nesta quinta, as hermanas também garantiram classificação às semifinais com uma vitória arrasadora sobre o Paraguai, por 3 sets a 0, parciais 25/09, 25/14 e 25/02. A partida vale a liderança do grupo A e terá transmissão ao vivo do SporTV.

A maior pontuadora do jogo foi a meio-de-rede Adenízia, com 11 pontos, seguida pela também central Carol Gattaz, que marcou dez vezes para o Brasil. Para Carol, o campeonato começa agora.

– Com o passe chegando bom nas mãos das levantadoras, torna o trabalho mais fácil, e tanto eu, quanto a Adenízia, estamos sendo bastante acionadas. E isso é legal porque podemos contribuir para o time. Mas o campeonato começa mesmo amanhã (sexta), diante da Argentina. Apesar disso, já sentimos o clima da competição

Zé Roberto também admitiu que a seleção brasileira ainda não foi muito exigida na competição.

– Por enquanto, os dois jogos (Paraguai e Uruguai) foram bons para testar nosso ritmo de jogo, e, principalmente, dar atenção ao ataque e à defesa. Na partida de hoje (quinta), já conseguimos diminuir os erros de saque. Isso foi positivo – afirmou.

Aula no primeiro set

O primeiro set foi, novamente, uma aula. Sempre com seriedade, as brasileiras jogavam como se fosse uma seleção de elite do outro lado da quadra. Com um saque potente e sem tirar o braço nos ataques, o Brasil não deixava o Uruguai respirar. O bloqueio foi outro destaque na parcial, com cinco pontos. As meninas de Zé Roberto também erravam menos do que contra o Paraguai, na quarta-feira. No fim, vitória tranqüila por 25/7, em 17 minutos.

O segundo set começou de forma incomum. Após um bom ataque e um ponto em erro brasileiro, o Uruguai abriu 2 a 0 no placar. A seleção brasileira, no entanto, logo reagiu, para desânimo das uruguaias. Apesar de errar mais do que na primeira parcial, principalmente no saque, a equipe verde-e-amarela manteve uma boa vantagem, sem ser incomodada novamente.

Zé Roberto, então, deu chances para a entrada das reservas Ana Tiemi e Joycinha. Logo depois, Sassá e Paula Pequeno, que fez seu retorno às quadras contra o Paraguai, também entraram em quadra. O nível foi mantido, mas, pela primeira vez no Sul-Americano, o Brasil permitiu que seu adversário passasse dos 10 pontos em um set: 25/14.

Árbitro erra, Uruguai cresce, mas Brasil garante classificação

Na última parcial, o Brasil novamente pecou pela falta de concentração. Depois que abriu 3/1 no placar, o Uruguai reagiu e chegou a estar na frente, com 6/5. A torcida em Porto Alegre passou a apoiar ainda mais, e a seleção acordou.

Impulsionado pela boa exibição de Joycinha e Paula Pequeno, o Brasil só teve problemas para passar pelos erros de julgamento do árbitro da partida. No meio da parcial, em novo apagão brasileiro, o Uruguai chegou a encostar no placar, que marcava 18 a 16. Apesar da falta de concentração, a equipe de Zé Roberto se manteve à frente até o fim e fechou o terceiro set em 25/17 em ponto de saque de Carol Gattaz.

 

Crédito: Globo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat