• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Mensagens se escondem onde quisermos vê-las, dizem estudos

Digiqole ad

Na produção americana “Presságio”, que estréia nos cinemas do Brasil no dia 4 de abril, o ator Nicolas Cage interpreta um professor que encontra um antigo mapa contendo um código numérico misterioso. Ao decodificar a mensagem, o professor encontra datas de catástrofes naturais como terremotos, incêndios e tsunamis do passado, presente e – acredita – também do futuro. Embora a trama seja ficcional, este cenário é comum no mundo real, de acordo com site Live Science.

Em 1997, por exemplo, Michael Drosnin publicou um livro que se tornou best-seller intitulado “O Código da Bíblia “, no qual ele afirmou que a Bíblia continha um código (escondido em números e letras) que previa com precisão alguns importantes acontecimentos mundiais. O trabalho de Drosnin foi logo refutado por cientistas que demonstraram que os “sentidos” que ele encontrou eram simplesmente o resultado de conjuntos de dados selecionados em um mar de letras aleatórias.

Estudos realizados encontraram “códigos escondidos” semelhantes em outros livros como “Moby Dick” e “Guerra e Paz”, demonstrando que tais códigos podem ser encontrados em qualquer texto que olharmos por muito tempo.

A ciência já estuda este fenômeno há tempos. Na psicologia, a tendência que a mente humana possui de encontrar coincidências, padrões e conexões em dados aleatórios é chamada apofenia.

Nas estatísticas, existe até um nome para esse tipo de erro no desenvolvimento de pensamentos: o erro tipo I. Um exemplo comum de um erro tipo I é um falso resultado positivo em um teste médico, por exemplo, no detectar a gravidez ou doença. Os médicos recomendam freqüentemente mais testes médicos para prevenir este tipo de erro.

Segundo especialistas, o primeiro teste pode ser resultado de um equívoco de interpretação causado por uma coincidência aleatória, um segundo ou terceiro teste são necessários para confirmar o diagnóstico.

A premissa por trás do filme Presságio tem várias origens, incluindo a Numerologia, que nada mais é do que a busca de significados em números. Às vezes o “significado” encontrado é a sorte (7), às vezes é o azar (13) ou até o demômio (666).

Após os ataques de 11 de setembro de 2001, muitas pessoas encontraram significativas coincidências ou significados no número 11, tais como as Torres Gêmeas que lembram o número 11, que “New York City” tem 11 letras, e que o vôo 77 tinha 65 pessoas em bordo – número cujos algarismos somados resultam 11 (é claro que se você subtrair, dividir ou multiplicar os números não obterá 11).

De acordo com pesquisadores, com esforço e um pouco de criatividade, você pode encontrar ou criar qualquer significado que você queira.

Sincronicidade
O tema traz a tona também o trabalho do psiquiatra Carl Jung, que propôs um fenômeno que chamou Sincronicidade. A idéia de Jung é que existem conexões ocultas entre a mente humana e do mundo exterior, e que dois ou mais eventos que acontecem ao mesmo tempo devem ser ligados de alguma forma.

O conceito de Jung teve grande popularidade e se relaciona a ditados populares como “Não há coincidências” e “Tudo acontece por uma razão.”

Mas, segundo afirmam cientistas, há um pequeno problema com esta idéia: não há evidência de que é verdade. Sincronicidade é um conceito interessante, mas não é cientificamente testável, e, portanto, carece de prova da sua validade.

 

Crédito: Terra

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat