• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Mais um título no Japão: Inter vence Oita Trinita e conquista a Copa Suruga

Digiqole ad

Seja no calor de dezembro, seja no frio de agosto, acordar cedo para ver o Inter jogar no Japão virou um prazer para os colorados. No mesmo país em que conquistou o Mundial em 2006, o time ganhou nesta quarta-feira a Copa Suruga, reunião entre o vencedor da Sul-Americana e o campeão da Liga Japonesa. O título foi garantido com vitória por 2 a 1 sobre o Oita Trinita.

Alecsandro e Andrezinho fizeram os gols gaúchos no segundo tempo. O Oita descontou com Higashi. O título, mesmo sendo de menor expressão, garante ao Colorado a sequência das recentes conquistas internacionais. Desde 2006, o Inter levanta pelo menos um caneco estrangeiro. A Copa Suruga soma-se à Libertadores, ao Mundial, à Recopa, à Copa Dubai e à Copa Sul-Americana. O clube gaúcho ainda embolsou cerca de R$ 360 mil de premiação pela vitória.

Com a taça na bagagem, o Inter chega a Porto Alegre na sexta-feira. O próximo jogo é em dia inusitado: na segunda-feira, às 21h, contra o Sport, no Beira-Rio. É o reinício da caminhada vermelha na luta pelo título do Campeonato Brasileiro.

O Inter começou o jogo sonolento, como se ainda estivesse perdido com o fuso. A equipe gaúcha demorou a se acostumar com a partida. Os primeiros minutos foram todos do time japonês – com a exceção de um gol de Alecsandro anulado por impedimento.

O time local, como era previsível, explorou a velocidade, uma marca do futebol japonês. A zaga vermelha bateu cabeça algumas vezes, mas nada a ponto de assustar a equipe de Tite. O Oita mostrou fragilidade ofensiva. Girou muito, criou pouco. O Colorado contou com a habitual correria de Guiñazu, mas viu figuras como Giuliano atuarem abaixo do necessário.

Com o passar do tempo, o Inter entrou no jogo e passou a utilizar as jogadas aéreas como arma. Os cruzamentos, saídos especialmente de Kleber, não foram bem aproveitados. Alecsandro, aos 28 minutos, cebeceou a bola para o chão. Ela quicou e saiu sobre o gol.

A melhor chance do Inter foi aos 33 minutos. Em lançamento saído do meio, a zaga japonesa se atrapalhou e permitiu que Taison, mais rápido, desviasse na saída do goleiro. A bola saiu por pouco.

O Inter garantiu o título no segundo tempo. Alecsandro, logo com quatro minutos, colocou a equipe de Tite na frente. Foi em lançamento primoroso de Andrezinho, que viu espaço para a ação do centroavante entre os zagueiros japoneses. Alecsandro dominou e mandou chute forte, preciso, no fundo do gol de Nishikawa: 1 a 0.

Estava bom. E ficou melhor logo depois. Aos 13 minutos, Bolaños (que entrou no lugar de Taison, lesionado) acionou Andrezinho pelo meio. O articulador dominou, olhou o gol adversário e decidiu mandar o chute. E que chute! A bola explodiu no travessão e entrou. Golaço do meia, que estava machucado até a véspera do jogo e foi escalado de última hora.

Aí os jogadores do Inter devem ter lembrado que o clube não conquista títulos sem grandes doses de emoção. O Colorado parou em campo e deixou o Oita, lanterna do Campeonato Japonês, reagir. Higashi, com 14 minutos, passou por Índio com uma facilidade assustadora e fez o gol. A partida recomeçava.

Virou pressão. O Inter ficou acuado e teve que conviver com a ânsia de empate do adversário. O Oita passou a circular pelos arredores da zaga vermelha. E deu um susto daqueles no colorados aos 19 minutos. Morishige subiu bem e mandou no travessão de Michel Alves. Quase.

Preocupado, Tite deixou o time mais precavido. Danilo Silva entrou no lugar de Giuliano. O Oita seguiu na pressão e só não empatou porque Michel Alves fez milagre em cabeceio à queima-roupa de Tsubouchi. Alecsandro, quase em cima da linha, ainda desperdiçou a chance de dar ao Inter uma vitória mais tranquila.

Mas o gol não fez falta. Mesmo com sustos, o Inter conseguiu segurar a onda do adversário para comemorar mais um título no ano de seu centenário.

 

Crédito: Globo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat