• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.7828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Lulu Santos mostra pop revigorado em “Luiz Maurício”

 Lulu Santos mostra pop revigorado em “Luiz Maurício”
Digiqole ad

Não há revelação alguma na afirmação de que Lulu Santos é um dos grandes autores de sucessos da música brasileira. Não seria surpreendente, portanto, que o novo disco do cantor, compositor e guitarrista mantivesse o padrão do consagrado artista. Mas Luiz Maurício vai além: o primeiro trabalho de inéditas do músico em cinco anos prova que o hitmaker continua inquieto aos 61 anos, sintonizado com a frequência pop local e internacional e disposto a confrontar as próprias convicções estéticas.

O melhor álbum de Lulu desde Assim Caminha a Humanidade (1994) brinca com os tempos: se a sonoridade e as letras das canções – 10 músicas originais mais dois remixes – são contemporâneas, a capa e o título do CD remetem ao passado. A imagem do encarte mostra Lulu aos oito anos ao lado da mãe, em frente à Casa Branca, em Washington D.C., em 1958. Luiz Maurício é também o nome de batismo do artista, utilizado em seu primeiro compacto solo, lançado em 1980 – e solenemente ignorado pelo mundo. “Eu me chamo Luiz Maurício /Mais conhecido como Lulu”, anuncia o tema de abertura, que aparece primeiro na versão remixada pelo DJ e produtor carioca Marcello Mansur, o Memê _ colaborador de trabalhos anteriores, como o dançante álbum Eu e Memê, Memê e Eu (1995).

O talento de Lulu para criar versos inteligentes e irônicos continua afiado, como na esperta e internética SDV (Segue de Volta?), parceria com Dadi: “Eu esperei você postar / A sua decisão / Se o meu perfil no ‘facelook’ /Vale uma canção / Se o ícone do polegar / É positivo ou não”. O CD inclui dois temas instrumentais: Blueseado, em que Lulu mostra seu lado de guitarrista roqueiro, e Drones, parceria com o músico e produtor Lincoln Olivetti – mago dos teclados dos anos 1970 e 1980.

Sucessos radiofônicos em potencial, a sacolejante Efe-se, o samba-rock Torpedo e os funks Michê (Chega de Longe Bis), com participação de Mr. Catra, e Sócio do Amor (remixado pelos DJs Sanny Pitbull e Batutinha) têm o toque do dedo verde do midas do pop nacional. Luiz Maurício, disco e artista, está antenado com as pistas, ecoando de Jay-Z a Daft Punk, de Justin Timberlake a funk carioca. Uma renovação de votos com sua época e com o que vem pela frente – compromisso assumido pelo jurado do programa The Voice Brasil desde que estreou em 1982 com o disco Tempos Modernos vaticinando: “Eu vejo a vida melhor no futuro”.

 

Crédito: ClicRBS

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat