• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Leandrinho volta, Brasil deslancha após o intervalo e vai à final da Copa América

Digiqole ad

Após duas rodadas de descanso, a mão direita de Leandrinho estava com saudades da bola. O ala-armador retornou à seleção brasileira neste sábado e comandou a equipe na semifinal contra o Canadá. Com 22 pontos e ajuda valiosa de Anderson Varejão, o jogador do Phoenix Suns esqueceu a dor e se transformou na fagulha que inspirou o ataque verde-amarelo na vitória por 73 a 65. Próxima parada, a grande decisão de domingo. O adversário sai do confronto entre Porto Rico e Argentina, que fecha a programação desta noite.

O cestinha da partida foi Leandrinho com 22 pontos. Anderson Varejão fez 16 e pegou oito rebotes. Pelo lado canadense, Joel Anthony conseguiu 17 pontos e oito rebotes.

Para o Canadá, que surpreendeu ao garantir a classificação para o Mundial da Turquia, resta a briga pelo bronze, também no domingo, às 18h30m. A final está marcada para as 22h, com transmissão ao vivo do SporTV e acompanhamento em Tempo Real no GLOBOESPORTE.COM.

Leandrinho tinha sido poupado por Moncho Monsalve nas partidas contra uruguaios e portorriquenhos, por causa de uma lesão na mão direita. No sábado, a fome de bola ficou clara desde o início. Foi ele que abriu o placar com um tapinha e, pouco depois, acertou um chute de longe. As equipes foram trocando cestas durante todo o primeiro período, com os canadenses emplacando bons contra-ataques e os brasileiros respondendo dentro do garrafão. Os rivais abriram quatro pontos, mas a equipe verde-amarela empatou na virada do período: 17 a 17.

No segundo quarto, Moncho lançou seus veteranos de confiança: Marcelinho Machado e Guilherme Giovannoni. A primeira cesta demorou quase dois minutos para sair, com uma bela assistência de Huertas para a enterrada de Varejão. Naquele ponto, o ataque teve um surto de preguiça e não conseguia se acertar. Mais tarde, Marcelinho, que vinha com aproveitamento ruim, finalmente acertou dois chutes seguidos e colocou o Brasil na frente. Na saída para o vestiário, a vantagem era mínima: 28 a 27.

Mesmo à frente no placar, o Brasil sofria àquela altura com a pontaria torta: 2/11 nos chutes de três, 2/6 nos lances livres. O que mantinha a equipe no jogo era a garra nos rebotes ofensivos – sete na primeira metade.

Seja lá qual tenha sido a conversa no vestiário, tudo mudou. Leandrinho voltou animado e despejou logo de cara duas cestas de três. Subitamente, o ataque passou a funcionar, e a diferença pulou para oito pontos. Varejão deu dois tocos espetaculares em sequência e, no segundo, a bola sobrou para Leandrinho partir veloz no contra-ataque. Ali a vantagem foi a 14, e assim foi até a virada para o último período: 54 a 40.

Nos últimos 10 minutos, o Canadá já não tinha nada a fazer. Perdendo por 17, a equipe se deu por satisfeita com a luta pelo bronze. Moncho ainda hesitou para colocar os reservas, mas lançou JP Batista na metade do quarto – afinal, Tiago Splitter tinha levado uma pancada leve no joelho direito. Diego e Olivinha também entraram, nos lugares de Leandrinho e Giovannoni. JP já entrou pegando um rebote, Marcelinho acertou outra cesta de três, e a vantagem foi a 19. Dali em diante, bastou controlar as ações, já pensando na final.

 

Crédito: Globo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat