• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Juventude é rebaixado para a Série C do Brasileiro com derrota

Digiqole ad

Tristeza, abatimento e decepção. O jogo da vida do Juventude se transformou no jogo da morte, neste sábado, em Campinas. Renascido para a elite do futebol brasileiro, o Guarani comandou a festa do acesso no Estádio Brinco de Ouro da Princesa e venceu por 2 a 1, com méritos. Sobrou para os jogadores do time alviverde e os 46 torcedores de Caxias do Sul presentes na arquibancada somente o choro. O clube está rebaixado para a Série C. Terá a companhia do Caxias e do Brasil-Pe no ano que vem.

Desesperado em campo, o Juventude levou o gol logo a 10 minutos do primeiro tempo. Maranhão cruzou da direita, Fabinho dominou a bola no peito na esquerda e tocou para o lado, com açucar, para Gláuber. O volante, camisa 8, invadiu a pequena área e bateu na saída do goleiro Juninho. A reação, desorganizada e com pouca ambição, foi forte apenas aos 18. Lopes deu uma assistência milimétrica para Bruno, que, sozinho na cara do gol, bateu em cima do goleiro Douglas. No rebote, Zezinho chutou em curva para fora.

Depois desse lance, o Guarani administrou o restante da primeira etapa.. Tocou a bola, retribuiu com vontade e disposição a festa da torcida e marcou o Juventude. Isso mesmo, amarrou o time do técnico Ivo Wortmann no campo de defesa. A única saída foi em cobranças de escanteio. Fora isso, um cruzamento de Bruno Teles para Marcos Denner, que quase marcou com um desvio sutil.

O 4-4-2 virou 3-5-2 logo na volta do intervalo. O treinador alviverde trocou Bruno Teles por Ivo e poucos minutos depois, Luiz Felipe por Tiago Renz. Resultado: o Guarani foi ainda mais para o ataque. O segundo gol do Bugre veio aos dois minutos do segundo tempo. Adriano Gabiru, o herói do título mundial do Inter, recebeu livre na entrada da grande área, olhou para o bandeirinha, agradeceu a não marcação de impedimento e bateu colocado. A torcida paulista foi ao delírio.

E quando o Guarani estava mais perto de fazer o terceiro, o Ju descontou. Aos 17, em escanteio cobrado por Tiago Renz da direita, Douglas conseguiu tocar por baixo, com o pé direito, no bolo da grande área. Mendes, que havia entrada pouco antes, preocupou um pouco mais a defesa bugrina a partir daí. Mas foi Lopes quem acertou a trave em boa jogada, aos 23.

Pouco, muito pouco para quem jogava a vida de um clube quase centenário. Afogado em suas próprias deficiências, o Juventude não chegou sequer a dar alguma esperança à papada nesta última rodada da Série B do Brasileiro. Rebaixado com justiça, junto com Fortaleza, Campinense e ABC.

Ficha técnica:

Guarani 2
Douglas (Léo, 14/2); Maranhão, Bruno Aguiar (Márcio Alemão, 26/1), Dão e Eduardo; Luciano Santos, Gláuber, Léo Mineiro e Adriano Gabiru (Carlos César, 21/2); Fabinho e Ricardo Xavier. Técnico: Vadão.

Juventude 1
Juninho; Luiz Felipe (Tiago Renz, 8/2); Da Silva, Douglas e Bruno Teles (Ivo, int.); Leanderson, Walker, Bruno e Lopes; Zezinho e Marcos Denner (Mendes, 15/2). Técnico: Ivo Wortmann.

Gols: Gláuber (G), aos 10min, no primeiro tempo. Adriano Gabiru (G), aos 2min, e Douglas (J), aos 17min, no segundo. Árbitro: Alício Pena Júnior, auxiliado por Helberth Costa Andrade e Marconi Helbert Vieira (MG). Cartões amarelos: Maranhão, Eduardo, Carlos César e Ricardo Xavier (G); Bruno e Leanderson (J). Renda: R$ 156.346. Público: 16.751 (pagantes). Local: Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP).

 

Crédito: Click RBS

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat