• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.7828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Imagem de Nossa Senhora de Caravaggio vai ganhar novo rosto após seis anos de polêmica

 Imagem de Nossa Senhora de Caravaggio vai ganhar novo rosto após seis anos de polêmica
Digiqole ad

Uma nova imagem sacra da dupla Nossa Senhora de Caravaggio e Joaneta, camponesa para quem a santa apareceu em 1432, está ganhando rosto em um galpão temporário ao lado do santuário, em Farroupilha. A promessa é construir uma escultura mais delicada, acolhedora e serena do que a atual — considerada feia pelos devotos desde 2008, quando foi cravada no meio da ERS-453.

Os traços nada angelicais da escultura que representa a santa estão desde então no centro de uma discussão religiosa que envolve estética e fé. O rosto da santa mais venerada da Serra não tem agradado aos fiéis, que o definem como estranho e desproporcional. Nem um retoque adiantou. O clamor popular foi tanto, que a imagem vai ser substituída — indicando que a feiura não é pecado, mas um pouco de beleza ajuda.

O monumento em criação, previsto para ser inaugurado em 8 de dezembro, será meio metro mais baixo em relação ao que hoje está na rodovia — passará a medir 6,5 metros de altura.

— As proporções corretas vão torná-la mais esguia. O monumento não deve se impor apenas pelas dimensões colossais — diz o artista plástico e restaurador de esculturas sacras Gilmar Pocai, responsável pelo novo projeto junto à colega Luciana Machado.

No ateliê, já é possível ver, esculpidos em concreto, a saia e o rosto de Joaneta. Nossa Senhora, por enquanto, só no pequeno protótipo que servirá de modelo. Para acalmar os fiéis aflitos, a ideia dos artistas é dar à santa uma cara de mãe, com feições humanizadas.

— Isso exclui o paradoxo bonito ou feio, porque todas as mães são lindas — explica Luciana.

Mesmo assim, há quem aponte defeitos na imagem atual sem medo do castigo divino.

— É muito feia, e olha que eu sou muito religioso — afirma o barbeiro Olímpio Strada, 80, que já teve em sua cadeira o técnico Felipão, um famoso devoto de Nossa Senhora de Caravaggio.

Autor da obra polêmica, escolhido por licitação, o artista Ronaldo Chiaradia afirma não se incomodar com as críticas — tanto que recebeu com tranquilidade a missão de retocar a imagem, ainda em 2008. À época, admitiu que a santa não era cativante, mas que chamá-la de feia era exagero.

Quando for retirada do estratégico ponto da rodovia e perder a função de indicar aos peregrinos o caminho do santuário, a escultura de Chiaradia ainda não tem destino definido, segundo a Secretaria de Turismo de Farroupilha. O certo é que, como custou R$ 179,2 mil aos cofres públicos (verba federal com contrapartida da prefeitura), ela não será jogada fora. Uma das opções é colocá-la dentro da cidade, num local em que possa ser contemplada de longe.

— Não digo que é feio porque temos de respeitar o artista, mas acho que foge do padrão estético católico a que estamos acostumados — diz o secretário municipal de Turismo, Fabiano Piccoli.

Para não usar novamente recursos públicos, o novo monumento de Nossa Senhora de Caravaggio está sendo financiado com doações de devotos. Conforme a secretaria, já foram arrecadados cerca de R$ 30 mil do orçamento fixado em quase R$ 100 mil. Reitor do santuário localizado em Farroupilha, o padre Gilnei Fronza também se abstém de classificar a estátua atual como bonita ou feia:

— Não buscamos a beleza porque a fé ultrapassa essa questão estética, mas queremos um monumento que se aproxime mais da nossa devoção.

Traços suaves estão no imaginário popular

A tradição secular que circunda a Virgem Maria pode ser a causa de um pensamento conservador em relação à imagem da santa de Farroupilha. Como um legado do Renascentismo, qualquer traço que se desenquadre do que é considerado o padrão estético católico é considerado uma ousadia. Às vezes, até ofende.

— Por ter sido isenta de todo o mal, espera-se que Nossa Senhora tenha um corpo e um rosto perfeitos — afirma o teólogo, poeta e crítico de arte Armindo Trevisan.

Em princípio, opina o autor do livro Como Apreciar a Arte, as imagens religiosas têm como função principal a devoção, para depois servir à fruição estética: uma imagem, por mais grosseira que seja, já deveria ser suficiente para a fé dos crentes, já que é o aspecto simbólico que dita seu caráter sobrenatural. O que está acontecendo na Serra, no entanto, não tem nada a ver com heresia.

A explicação de Trevisan é que já existe um incrível e gigantesco acervo de imagens de Nossa Senhora. Nenhuma mulher do mundo foi tão retratada quanto ela, o que acabou estabelecendo um arquétipo do que é, afinal, bonito.

— As pessoas já conhecem tantas obras que retratam a Virgem como bela que é normal estranharem a imagem de uma mulher feia, sem um mínimo de elegância — afirma o ensaísta.

Papa entre 1939 e 1958, Pio XII teria dito que as formas e as técnicas modernas não deveriam ser desprezadas no momento de produzir as imagens de santos, embora fosse preciso equilíbrio entre o realismo e o simbolismo, com os olhos mais voltados à comunidade cristã do que ao gosto pessoal do artista. Extravagância é considerada uma afronta aos costumes religiosos. Não é diferente do que tem acontecido, nos últimos anos, em Farroupilha, cidade de pouco mais de 70 mil habitantes da serra gaúcha.

— Se a estátua está sendo contestada, é porque a comunidade deseja dar maior dignidade a sua santa — diz Trevisan.

 

Crédito: ClicRBS

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat