• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Herói improvável, goleiro reserva acaba com sonho da Costa Rica e põe Holanda na semi

 Herói improvável, goleiro reserva acaba com sonho da Costa Rica e põe Holanda na semi
Digiqole ad

No dia em que Kelyor Navas, da Costa Rica, pegou tudo, absolutamente tudo, em campo, quis o destino que o herói acabasse sendo um goleiro reserva. Tim Krul, da Holanda, entrou a um minuto do fim do jogo no lugar de Cillesen e foi decisivo nos pênaltis. Ele defendeu as cobranças de Bryan Ruiz e Umaña e deu a classificação por 4 a 3 nas penalidades para a “Laranja Mecânica”, após empate por 0 a 0 no tempo normal e prorrogação neste sábado, na Arena Fonte Nova, pelas quartas de Copa do Mundo.

Na semifinal, a Holanda vai enfrentar a Argentina, que, também neste sábado, venceu a Bélgica por 1 a 0, no Estádio Nacional de Brasília, e avançou. O duelo será no dia 9 de julho, na Arena Corinthians, em São Paulo, com transmissão ao vivo dos canais ESPN e do WatchESPN, além de tempo real pelo ESPN.com.br.

Já a Costa Rica se despede do Mundial de maneira invicta, tendo passado por um grupo com Uruguai, Itália e Inglaterra e eliminado a Grécia nas oitavas. O time da América Central ainda viu o goleiro Navas fazer mais uma grande partida, executando uma série de milagres que seguraram a Oranje durante o tempo regulamentar.

Nos pênaltis, porém, Navas não conseguiu pegar nenhuma das cobranças holandesas, muito bem executadas por Van Persie, Robben, Sneijder e Kuyt.

O jogo

O primeiro tempo foi de domínio total dos holandeses, que só não abriram o placar porque esbarraram na “muralha” Keylor Navas em suas três melhores chances. Jogando pelos lados do campo, com Kuyt, Robben, Blind e Depay, os comandados de Louis van Gaal tiveram 62% de posse de bola e criaram várias boas oportunidades.

A primeira saiu aos 21 minutos, quando Van Persie recebeu na esquerda da área e soltou a bomba cruzada, mas o arqueiro defendeu bem. No rebote, Sneijder tentou surpreender, mas o atento Navas agarrou de novo. Oito minutos depois, Depay recebeu na corrida pela esquerda e tocou rasteiro, mas o goleiro costarriquenho salvou novamente, desta vez com o pé.

A defesa mais plástica saiu aos 31 minutos, quando Sneijder acertou em cheio uma linda cobrança de falta. A bola tinha endereço, mas Navas espalmou para escanteio após um salto arrojado. Com isso, os jogadores foram para o intervalo com 0 a 0 no placar.

Na segunda etapa, a Holanda seguiu dominando amplamente o duelo, mas sem as chegadas incisivas da etapa inicial. A Oranje rodada a bola de um lado para o outro, mas tinha enormes dificuldades em passar as linhas defensivas muito bem montadas pelo técnico Jorge Luis Pinto.

O ferrolho por muito pouco não foi furado aos 36, quando Sneijder bateu falta com muito veneno, longe do alcance de Keylor Navas. Para a sorte do goleiro, porém, a bola explodiu na trave, e sua zaga afastou o perigo na sobra. No lance seguinte, Van Persie driblou a zaga e disparou forte de direita, mas o arqueiro fez mais uma grande defesa.

E não era mesmo a tarde de Van Persie: a dois minutos do fim, Sneijder cruzou com açúcar da direita, dando ao centroavante apenas o trabalho de bater de chapa e estufar a rede. O jogador do Manchester United, no entanto, furou feio.

Logo depois, mais um lance incrível: Blind cruzou da esquerda e a bola passou por toda a área sem ninguém encostar. Ela sobrou para Van Persie, livre, chutar rasteiro. Os torcedors holandeses já tinham gritado gol, mas ela desviou no pé de Tejeda, explodiu no travessão e voou para longe. Lance inacreditável, que levou o duelo para a prorrogação na Arena Fonte Nova.

E o tempo extra só seguiu a tendência do jogo. Logo no 3º minuto, o zagueiro Vlaar subiu bem em cobrança de escanteio e cabeceou para o chão, mas Navas fez outra grande intervenção, naquela que foi praticamente a única chance clara da primeira etapa.

No segundo período, a Costa Rica seguiu se defendendo como podia e por muito pouco não conquistou a vitória em um lance incrível: a quatro minutos do fim, Ureña saiu driblando a zaga holandesa e saiu cara a cara com o goleiro Cillessen. O chute cruzado saiu forte, mas o goleiro foi bem no lance e fez sua única defesa difícil no jogo.

Pouco depois, de maneira novamente inacreditável, Sneijder mandou um lindo chute colocado, fora do alcance de Navas, mas o travessão salvou os costarriquenhos. Não tinha jeito: a vaga na semifinal teria que ser decidida mesmo nos pênaltis.

Na marca da cal, porém, quis o destino que o reserva Krul brilhasse. Colocado em campo por Van Gaal no último minuto da prorrogação, ele defendeu a cobrança de Bryan Ruiz. Como acertaram todos os chutes, os holandeses venceram e ganharam o direito de enfrentar a Argentina na semifinal.

Já a Costa Rica é eliminada após campanha histórica, na qual terminou invicta.

FICHA TÉCNICA:
HOLANDA (4) 0 x 0 (3) COSTA RICA
Copa do Mundo 2014 – Quartas de final

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador-BA
Horário: 17h (horário de Brasília)
Data: 5 de julho de 2014, sábado
Público: 51.179 torcedores
Árbitro: Ravshan Irmatov (UZB)
Assistentes: Abduxamidullo Rasulov (UZB) e Bakhadyr Kochkarov (QUI)
Cartões amarelos: Indi e Huntelaar (HOL); Acosta, González, Díaz e Umaña (CRC)

PÊNALTIS

HOLANDA
Van Persie: O
Robben: O
Sneijder: O
Kuyt: O

COSTA RICA
Borges: O
Bryan Ruiz: X
González: O
Bolaños: O
Umaña: X

HOLANDA: Cillessen (Krul); Vlaar, De Vrij e Indi (Huntelaar); Kuyt, Wijnaldum, Sneijder e Blind; Robben, Depay (Lens) e Van Persie Técnico: Louis van Gaal

COSTA RICA: Navas; Acosta, González e Umaña; Gamboa (Myrie), Borges, Tejeda (Cubero) e Díaz; Bryan Ruiz e Bolaños; Campbell (Ureña) Técnico: Jorge Luis Pinto

 

Crédito: ESPN

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat