• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.7828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Gene Simmons crava que o Rock ‘n’ Roll foi assassinado!

 Gene Simmons crava que o Rock ‘n’ Roll foi assassinado!
Digiqole ad

Gene Simmons, baixista do Kiss, afirmou, em entrevista à revista Esquire que o rock morreu. “A morte do rock não aconteceu por causas naturais. O rock não morreu de velhice. Ele foi assassinado”, disse ele.

Segundo o astro, o assassino do rock não foi a grande diversidade de gêneros musicais, tampouco a falta de talento da nova geração. Ele crava que a culpa é do compartilhamento de arquivos e que os jovens não dão valor à música a ponto de pagar por ela.

“As novas bandas simplesmente não tem chance. Se você toca guitarra, é quase impossível, é melhor nem aprender a tocar ou a compor músicas. Apenas cante no chuveiro e faça um teste para o The X Factor. E eu não sou contra o The X Factor ou contra os cantores pop. Mas onde estão os novos Beatles? Onde estão os novos compositores? Muitos deles tem que trabalhar nos bastidores, se apoiando em produções para escrever sobre o que gostam”, continuou.

Ele ainda culpa os jovens de classe média branca: “Eles se viram no direito de ter algo de graça, porque é assim que eles foram acostumados. Se você acredita no capitalismo – e eu acredito no capitalismo de livre mercado – então o outro modelo é um caos. Ele destrói a estrutura”.

O artista parece incomodado com a inclusão digital. Gene fez sucesso em tempos onde somente uma parcela dos jovens tinha acesso à informação e às artes. Novas plataformas, como o Youtube, possibilitam que sua música continue em alta, camisas com estampas de sua banda sejam vendidas até mesmo em lojas de departamento, e também faz com que seja possível que ilustremos este post com suas músicas, o que rende alguns trocados pro cara e ainda divulga seu trabalho.

O americano também não pode reclamar que a globalização e o acesso facilitado à suas músicas reduziram o dinheiro em sua conta no fim do mês, o Kiss cobra caro por ingressos em seus shows (assim como qualquer artista mainstream), em sua última vinda ao Brasil, em 2012, os ingressos custaram entre R$ 190 e R$650. A pergunta que fica é: será que os shows do quarteto teriam lotado (mais de 30 anos após seu auge) sem ajuda do compartilhamento de arquivos?

 

Crédito: ClicRBS

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat