• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Feijão perde jogaço de quase 7h, e Bellucci faz

 Feijão perde jogaço de quase 7h, e Bellucci faz
Digiqole ad

O Brasil estava à frente por 2 a 1 no confronto de oitavas de final com a Argentina, em Tecnópolis, em Buenos Aires, e poderia ter carimbado logo o passaporte para as quartas da Copa Davis. No entanto, a decisão teve de ficar para o último jogo. Na quarta partida da série, repleta de emoção, João “Feijão” Souza não conseguiu superar Leonardo Mayer no duelo de simples mais longo da história da Copa Davis, que está em um domingo de decisões. Durante as 6h42 de jogo, o número 1 do Brasil e 75 do mundo chegou a empatar a partida depois de ter perdido os dois primeiros sets e até salvou dez match points. O 29º do ranking mundial, porém, levou a melhor por 3 sets a 2, com as parciais de 7/6(4), 7/6(5), 5/7, 5/7 e 15/13, deixando o clássico sul-americano empatado em 2 a 2.

– Dei 300% de mim, ele (Mayer) deu 300%. Pensei em não desistir jamais. Acabou indo para o lado dele e agora é torcer para o Thomaz (Bellucci) o máximo possível – disse Feijão.

Essa foi a partida mais longa de simples na história da Copa Davis. Superou as 6h22 da vitória do americano John McEnroe sobre o sueco Mats Wilander em 1982 (9/7, 6/2, 15/17, 3/6 e 8/6), época em que o sistema de tie-break ainda não era utilizado. A partida que mais tempo durou em toda a competição entre países foi o duelo de duplas entre Stanislas Wawrinka/Marco Chiudinelli, da Suíça, e Tomas Berdych/Lukas Rosol, da República Tcheca, em 2013, que se arrastou por 7h02, com vitória dos tchecos por 6/4, 5/7, 6/4, 6/7 e 24/22.

Com o confronto em Buenos Aires empatado, o jogo que vai definir o ganhador da série será o duelo entre o brasileiro Thomaz Bellucci (87º) e o argentino Federico Delbonis (83º). A partida começou ainda neste domingo, mas teve seu término adiado para a segunda-feira, às 11h, por falta de iluminação natural após o brasileiro perder o primeiro set por 6/3.

A última partida do encontro entre Brasil e Argentina vale a quebra de jejuns para a equipe verde-amarela. O país nunca ganhou dos hermanos fora de casa e a última vez que disputou as quartas de final da Copa Davis foi em 2001, quando passou pelo Marrocos nas oitavas e caiu diante da Austrália na fase seguinte. Aquele elenco contava com Gustavo Kuerten, Fernando Meligeni, Jaime Oncins e Alexandre Simoni.

Brasil e Argentina não se enfrentavam pela Copa Davis desde 1980. Os argentinos possuem cinco vitórias (ganharam os quatro últimos encontros), enquanto os brasileiros, duas (edições de 1972, no Rio de Janeiro, e de 1975, em São Paulo).

Quem se classificar do duelo em Buenos Aires vai enfrentar a Sérvia nas quartas de final. Contando com o número 1 do mundo, Novak Djokovic, os sérvios bateram a Croácia por 5 a 0 em casa, em Kraljevo. Caso o Brasil passe, terá de jogar fora de casa contra a Sérvia. Se a Argentina levar a melhor, joga de novo sob seus domínios.

Diante da agressividade de Mayer no saque, Feijão encontrava dificuldades na devolução. Nos dois primeiros games de saque do argentino, o paulista de Mogi das Cruzes conseguiu apenas um ponto. Por outro lado, Mayer teve uma chance de quebra no segundo game de jogo, mas desperdiçou atacando para fora. Sem conseguir trocar muitas bolas com o adversário, Feijão se esforçou para levar o set para o tie-break. Para euforia dos brasileiros, ele começou com a miniquebra, mas Mayer virou o placar, conquistou a miniquebra de vantagem no erro do paulista e fez 6 a 3 valendo-se do ótimo saque. Feijão diminuiu, mas Mayer, ainda no saque do brasileiro, soltou uma cruzada de esquerda vencedora para fechar o game de desempate em 7 a 4.

Feijão continuou tendo sempre que correr atrás do prejuízo. Salvou um break point no terceiro game, mas depois de muita indefinição na igualdade, ele atacou para fora e deu a quebra para Mayer. No sexto game, Feijão enfim encaixou as devoluções, teve a primeira chance de quebra em todo o jogo e empatou o set em 3/3 depois de um voleio mal executado pelo rival. O número 1 do Brasil ainda penava com o saque do oponente, e de novo a briga foi para o tie-break, que teve um início diferente, mas terminou da mesma maneira que o anterior. Feijão começou sofrendo a miniquebra e só foi recuperar na hora que era vital, deixando tudo igual em 5 a 5. Porém, depois de ver Mayer chegar ao match point no ponto seguinte, o brasileiro pegou mal com a direita, que foi para fora e deu mais uma parcial para o adversário.

No intervalo para o terceiro set, Feijão recebeu atendimento médico na região do pescoço e em outra parte próxima ao quadril. Apesar da tensão, não pareceu estar desgastado fisicamente. Só o começo da parcial é que não foi dos melhores. Bastante consistente, Mayer brilhou ao achar uma paralela de esquerda para obter a quebra no segundo game e depois fazer 3/0. Porém, o argentino acusou um problema no pé esquerdo e precisou de dois atendimentos médicos. No sétimo game, Feijão se impôs, chamou a torcida brasileira para se manifestar e devolveu a quebra, de zero. Em seguida, empatou em 4/4. Parecia que outro tie-break seria necessário, mas Mayer tratou de fazer a alegria dos brasileiros ao cometer duas duplas faltas consecutivas para dar a quebra de vantagem para Feijão. Sacando para o set, Feijão manteve-se no controle e selou a parcial em 7/5 com uma paralela vencedora de direita.

O panorama da partida mudou completamente. Mais confiante, Feijão pressionou e aproveitou a queda de rendimento do adversário para já começar o quarto set quebrando o saque de Mayer. Na sequência, saiu de um 0-30 para confirmar a quebra. Diante do mau momento do compatriota, fora de quadra o argentino Carlos Berlocq era o que mais pedia a participação da torcida da casa e se irritava com os brasileiros, sendo preciso que Bruno Soares fosse acalmar os ânimos. Até um drone carregando a bandeira do Brasil sobrevoou a quadra. Passado isso, Feijão mostrou poder de reação: mesmo tendo o saque quebrado no sexto game (3/3), contou com uma direita grotesca do rival no game seguinte para voltar a ter uma quebra de vantagem. Repetiu a dose depois de Mayer ter salvado set point e faturado outra quebra (5/5), atacando curto e cruzado para de novo ficar a um game de empatar a partida em sets. Dessa vez o tenista paulista não bobeou, deu show com um lob para cima do adversário de 1,90m e converteu o set point na base do saque e voleio.

No último set, Mayer equilibrou o jogo. Salvou break point logo no primeiro game e teve três chances de quebra no oitavo, todas salvas pelo número 1 do Brasil. A tensão à medida que a partida se encaminhava para o final era tanta que torcedores brasileiros e argentinos discutiam  nas arquibancadas. Os hermanos se agigantaram quando Mayer fez 0-40 e tinha a vantagem de 5/4 no placar. Pressionado, Feijão soltou o braço no saque, salvou o triplo match point e confirmou o serviço. Na sequência, faturou a quebra que o deixou a um game da vitória. Porém, perdeu o game de saque com uma dupla falta (6/6).

Com o quinto set sem tie-break, Feijão sempre sacou precisando confirmar o serviço para não ser derrotado. Mostrou que a parte mental continuava forte ao salvar outros dois match points no 18º game. No 24º, já com ambos bastante desgastados, Feijão conseguiu evitar a vitória do adversário em mais quatro match points. No game seguinte, foi a vez de Mayer salvar três break points, atacando no fundo e aproveitando o cansaço do brasileiro. Já protagonizando o jogo mais longo da história da Copa Davis, Feijão mal conseguia correr. No 28º game, a partida chegou ao fim: o brasileiro salvou o décimo match point, mas teve a derrota decretada no ponto seguinte, quando Mayer acertou a devolução vencedora.

ARGENTINA X BRASIL – RESULTADOS E PROGRAMAÇÃO

Sexta-feira
Carlos Berlocq (ARG) 2 x 3 Feijão (BRA) – 6/4, 3/6, 5/7, 6/3 e 6/2
Leonardo Mayer (ARG) 3 x 1 Thomaz Bellucci (BRA) – 6/4, 6/2, 1/6 e 6/3

Sábado
Carlos Berlocq/Diego Schwartzman (ARG) 0 x 3 Marcelo Melo/Bruno Soares (BRA) – 7/5, 6/3 e 6/4

Domingo
Leonardo Mayer (ARG) 3 x 2 Feijão (BRA) – 7/6(4), 7/6(5), 5/7, 5/7 e 15/13

Segunda-feira
11h – Federico Delbonis (ARG) 1 x 0 Thomaz Bellucci (BRA) – 6/3 (jogo começou no domingo e será retomado nesta segunda, com transmissão do SporTV 2)

 

Crédito: http://sportv.globo.com/site/eventos/copa-davis/noticia/2015/03/feijao-perde-jogaco-de-quase-7h-e-bellucci-fara-final-contra-argentina.html

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat