• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Federasul reivindica a retomada e conclusão de obras viárias no Estado

Digiqole ad

A Federasul entregou nesta terça-feira (18/9) ao governo do Estado documento contendo as principais reivindicações relacionadas a obras rodoviárias na região Metropolitana e no Interior do Rio Grande do Sul. Reunidos com o secretário estadual da Infraestrutura e Logística, Beto Albuquerque, o presidente da entidade, Ricardo Russowsky, e líderes das associações regionais ligadas à Federasul defenderam a importância dessas demandas, algumas já históricas, para o desenvolvimento das regiões abrangidas.

No documento são listadas as regiões e as obras que envolvem recuperação de trechos, pavimentação, construção de trevos e revisão de contratos em rodovias pedagiadas. Entre as reivindicações estão: a revisão do pedido para duplicação até 2013 da estrada ERS-118 a BR-290 (freeway), entre os municípios de Alvorada e Viamão; criação de mais acessos à ERS-118, no Vale dos Sinos; conclusão da pavimentação da ERS-403, entre Cachoeira do Sul e Rio Pardo; início das obras da ERS-575; recapeamento e melhorias na segurança do tráfego da ERS-446, que liga Carlos Barbosa a São Vendelino.

Também foi solicitado o encaminhamento dos processos de licitação para a duplicação dos trechos da RSC-470, entre Carlos Barbosa e Bento Gonçalves, e da ERS-453, entre Bento Gonçalves e Farroupilha, assim como construção de viaduto no Trevo Santa Rita, na junção da RST-470 e ERS-453. O documento abrange oito regiões do Estado: Vale do Rio Pardo, Fronteira Noroeste, Serra, Metropolitana, Fronteira Oeste, Vale do Sinos, Campanha e Vale do Caí.

O secretário de Infraestrutura e Logística, ao receber o documento, se comprometeu a responder as questões juntamente com o corpo técnico da Secretaria e do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) nos próximos dias. “Infelizmente, o maior entrave que temos hoje é jurídico, pois os projetos precisam ser atualizados, o que gera uma maior demora nos trâmites e atrasa os prazos para a execução e, consequentemente, para a conclusão das obras”, lamentou Albuquerque, ao ressaltar que existem projetos com mais de 20 anos, impossíveis de serem executados da forma em que foram elaborados. Ele ressaltou ainda que grande parte das demandas integra o Plano de Obras 2012/2014, do governo do Estado.

O presidente da Federasul aguardará o retorno formal do governo sobre as reivindicações para levar as respostas aos membros da entidade. “Mais uma vez observamos ressonância entre o governo e nossos pedidos. Tranquiliza-nos o fato de saber que grande parte das nossas reivindicações está nos planos e, superados os entraves burocráticos, elas sairão do papel”, enfatizou Russowsky.

 

Crédito: Imprensa Federasul

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat