• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Ex-produtor dos Beatles é declarado culpado de homicídio

Digiqole ad

O produtor musical Phil Spector foi declarado culpado nesta segunda-feira de homicídio, no caso da morte de uma atriz em sua mansão, há 6 anos. Ele trabalhou com os Beatles, Tina Turner, The Righteous Brothers, Ramones e outros grandes nomes da música.

Após nove dias de deliberações, o júri chegou a um consenso sobre a culpabilidade do produtor pela morte de Clarkson, depois que um primeiro julgamento realizado em 2007 foi declarado nulo devido à impossibilidade de os membros do júri chegarem a um acordo.

As provas apresentadas no julgamento, que começou em outubro, foram suficientes para determinar que, em 3 de fevereiro de 2003, Spector matou Lana Clarkson horas após conhecê-la em um clube de Sunset Strip, em Hollywood, onde trabalhava como hostess.

A acusação retratou o produtor como um sádico misógino com um histórico de três décadas “jogando na roleta russa com as vidas das mulheres” quando estava bêbado.

O advogado de defesa alegava que Clarkson teria se matado, após estar mergulhada em uma depressão ao ver sua carreira artística no limbo e afetada por problemas financeiros.

O julgamento
O produtor chegou ao tribunal para ouvir a sentença com um paletó largo com um botom com a inscrição “Barack Obama Rocks!” (“Barack Obama é o melhor”).

No segundo julgamento, o júri teve a opção de considerar Spector culpado de um delito menos grave, homicídio culposo (sem a intenção de matar). Pelas leis da Califórnia, a decisão do júri de condenar ou absolver o réu precisa ser unânime.

Ele não depôs em nenhum dos julgamentos e, desde sua prisão em 2003, foi libertado sob fiança de 1 milhão de dólares, mas foi preso imediatamente após a leitura do veredito.

O júri, composto por seis homens e seis mulheres, começou a deliberar no dia 26 de março, após cinco meses de julgamento.

Os promotores disseram que Spector atirou e matou a atriz Lana Clarkson em sua mansão na madrugada de 3 de fevereiro de 2003, após tê-la conhecido horas antes na discoteca em que a mulher trabalhava. A defesa alegava que Clarkson, 40 anos, cometeu suicídio.

Durante o julgamento, o promotor Alan Jackson retratou Spector como um excêntrico louco por armas de fogo e com um “histórico de violência” contra as mulheres que o rejeitaram.

Cinco mulheres testemunharam que foram ameaçadas com armas de fogo por Spector durante os anos 70.

O ex-motorista de Spector revelou ao júri que na noite da morte de Lana encontrou seu patrão com uma pistola e a mão ensanguentada, antes de dizer: “acho que matei alguém”.

Semanas antes da morte de Lana Clarkson, Spector deu uma estranha entrevista na qual se descreveu como “relativamente louco”.

Spector, 69 anos, e criador da famosa técnica de gravação Wall of Sound, na década de 60, quando trabalhava com as maiores estrelas da música, olhou resignado para o júri durante a leitura do veredito.

Spector receberá a sentença em nova audiência no dia 29 de maio e poderá passar o resto de sua vida preso se condenado à pena máxima.

 

Crédito: Terra

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat