• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Estudo indica que a mortalidade por câncer de mama vem diminuindo no RS

Digiqole ad

Estudo publicado na revista cientifica Clinics, da Universidade Federal de São Paulo, revela que a mortalidade por câncer de mama diminuiu em algumas regiões do Brasil, incluindo o Rio Grande do Sul.

Liderado pelo pesquisador e mastologista Ruffo Freitas-Junior, da Universidade Federal de Goiás, o estudo avaliou dados entre 1980 e 2009 das várias regiões brasileiras, utilizando os dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade da Organização Mundial da Saúde (SIM/OMS) e do Ministério da Saúde (DATASUS).

No período avaliado, a mortalidade por câncer de mama ficou estabilizada no Brasil, com uma diminuição de 0,4% ao ano. Os responsáveis por essa melhora foram as regiões Sudeste e Sul, que apresentaram uma diminuição de 0,9% e 0,3% ao ano, respectivamente.

Considerando as taxas de mortalidade nos Estados, no Rio Grande do Sul, houve uma diminuição anual de 0,8%; em São Paulo, de 1,9%; e, no Rio de Janeiro, a queda foi de 0,6%.

Porém, a região Nordeste apresentou um aumento anual de 5,3% na mortalidade por câncer de mama, especialmente no Maranhão (12%), Paraíba (11,9%) e Piauí (10,9%).

— Esses dados refletem as diferenças regionais de acesso a ações de prevenção, tal como a mamografia, que possibilita a detecção precoce da doença, tendo as regiões Sul e Sudeste as melhores infraestruturas — observa Freitas-Junior.

Mortalidade ainda é alta

Embora haja uma queda da mortalidade nas regiões com maior acesso à mamografia, o risco por mortalidade por câncer ainda pode ser considerado alto, conforme o oncologista Stephen Stefani, do Instituto do Câncer Mãe de Deus.

— A incidência de câncer de mama está diretamente relacionada com o nível de desenvolvimento socioeconômico, sendo maior para esses locais, mesmo que haja uma detecção precoce mais eficaz e uma diminuição da mortalidade. Assim, o risco de mortalidade por câncer de mama ainda é alto para as cidades como Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro — comenta o médico.

Ambos os especialistas afirmam que a melhor forma de prevenção ao câncer de mama é assumir um estilo de vida saudável, que inclui exercícios físicos com regularidade, uma alimentação balanceada, evitar o álcool e o fumo. Além disso, é necessária a realização do exame de mamografia anualmente a partir dos 40 anos e acompanhamento médico regular.

Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), devem ser registrados mais de 52 mil novos casos de câncer de mama no Brasil em 2012.

 

Crédito: Pioneiro

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat