• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

ESQUEMA ESPECIAL PARA FÁBRICA DE QUEIJOS VOLTAR A FUNCIONAR

 ESQUEMA ESPECIAL PARA FÁBRICA DE QUEIJOS VOLTAR A FUNCIONAR
Digiqole ad

Nem o incêndio que consumiu parte de sua fábrica de queijos em Vacaria abalou a disposição empreendedora de Raul Anselmo Randon. O empresário de 84 anos, que há cerca de uma década está mais dedicado à produção de alimentos do que à administração do Grupo Randon, já faz planos para retomar a produção.

Um dos argumentos de Randon para encarar com relativa tranquilidade o incidente é a experiência de quem já enfrentou esse mesmo tipo de problema em circunstâncias mais desfavoráveis, mas conseguiu superar o episódio.
— Meu irmão e eu começamos a trabalhar em 1949 e, em 1951, um incêndio destruiu nossa oficina. Estou escaldado. São coisas da vida — comentou o empresário Raul Randon, com planos de reconstruir a unidade danificada.

Dois dias depois do incêndio da unidade láctea da Rasip, já estava sendo montado um esquema especial para garantir o abastecimento dos clientes. Segundo Randon, só a parte de embalagens dos queijos foi afetada.

— Tem que fazer tudo de novo, mas tudo bem, estava segurado. Vamos ter que reconstruir, colocar máquina nova, isso vai demorar uns seis meses. Mas acho que nesta semana já estaremos produzindo de novo. A fábrica de queijo não foi atingida — relatou Randon.

A unidade atingida pelo incêndio faz parte da empresa Rasip, que é de Randon mas não faz parte do grupo de empresas que produz reboques de caminhões. Pioneira no país na produção e na comercialização do queijo tipo grana padano, a Rasip também faz creme de leite e azeite de oliva, além de produzir e vender maçãs dos tipos gala e fuji.

 

Crédito: Betão Carneiro

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat