• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.7828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Empresário natural de Lagoa Vermelha morre em acidente de parapente em Goiás

 Empresário natural de Lagoa Vermelha morre em acidente de parapente em Goiás
Digiqole ad

O comerciante gaúcho Carlos Antônio Guadagnin, 55 anos, faleceu na tarde da última terça-feira, dia 29, na cidade de Anápolis (Goiás), após um acidente de parapente.

O piloto sofreu uma queda na região das Torres, na Serra de Jaraguá. Conforme informações do Corpo de Bombeiros, ele bateu com muita força em uma árvore, onde ficou pendurado.

Carlos Antônio Guadagnin foi resgatado com vida e levado para o Hospital Municipal Sandino de Amorim, mas devido à gravidade dos ferimentos, acabou sendo encaminhado para o Hospital de Urgência de Anápolis.

Segundo relato de Alessandro Alves, 35 anos, que é presidente do Clube Goiases Parapente, Guadagnin fazia um voo às 15 horas, quando teria executado uma manobra errada. Com a ação, ele se chocou contra uma árvore, a dois metros do chão.

“O rapaz foi decolar, fez manobra errada, entrou para a esquerda, quando deveria ter ido para a direita, e voltou para as árvores”, contou Alves, com base em relato de testemunhas.

Pilotos disseram que a vítima, apesar da idade, tinha pouco tempo de prática no esporte. Os colegas lamentaram a morte do piloto.

Ubiramar Antônio, (Bira), diretor de comunicação do Goiases Parapente Clube, entidade de Jaraguá, que organiza o XCerrado, principal competição de parapente de Goiás, lamentou a morte Carlos Antônio.

Na semana passada era para ter ocorrido uma competição chamada XCerrado, mas a mudança brusca do clima com temperaturas impensáveis para o mês de julho inviabilizou o evento.

Muitos pilotos permaneceram na cidade, aguardando o tempo melhorar para voar.

Antônio Guadagnin era natural de Lagoa Vermelha, mas residiu em Passo Fundo por muitos anos, aonde construiu sua vida profissional. Comerciante do ramo de papelaria em Passo Fundo, Guadagnin estava com um grupo de gaúchos para uma competição no local.

Era uma pessoa querida no município de Passo Fundo, trabalhou no Banco do Brasil e era um dos precursores do ensino de língua inglesa na cidade, sendo diretor da franquia de escolas Wizard durante muitos anos em Passo Fundo.

Segundo relato de Alessandro Alves, 35 anos, que é presidente do Clube Goiases Parapente, Guadagnin fazia um voo às 15 horas, quando teria executado uma manobra errada. Com a ação, ele se chocou contra uma árvore, a dois metros do chão.

Após o acidente, o Corpo de Bombeiros foi acionado. Com uma fratura no fêmur e perdendo muito sangue, Carlos Antônio Guadagnin, foi levado ainda com vida para o Hospital de Urgências da cidade de Anápolis.

Após dar entrada no hospital por volta 18 horas, o atleta acabou morrendo duas horas depois.

Carlos Antônio Guadagnin, era casado com Janete Guadagnin, com quem tinha três filhos.

O corpo dele deve chegar amanhã, sexta-feira, dia 1º de agosto, às 12h30min em Porto Alegre e de lá transladado para o município de Lagoa Vermelha, onde será sepultado no sábado pela manhã.

 

Crédito: Adelar Gonçalves/Dep. Jornalismo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat