• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.7828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Eficiente e com Ronaldo matador, Timão vence o Inter e dá enorme passo para o tri

Digiqole ad

O oportunismo de Jorge Henrique e o poder de decisão de Ronaldo, aliados ao contagiante apoio dos mais de 35 mil fiéis que estiveram no Pacaembu esta noite, ajudaram o Corinthians a dar importante passo rumo ao tricampeonato da Copa do Brasil. Eficiente e vibrante, o Timão fez 2 a 0 no Internacional, na primeira final, e agora joga no dia 1º de julho, no Beira-Rio, em Porto Alegre, com boa vantagem.

Para ficar com o título e assegurar vaga na Taça Libertadores de 2010, ano do seu centenário, o Timão pode até perder por um gol de diferença no Sul. Qualquer empate também é da equipe paulista. A missão do Internacional é vencer por 2 a 0 para levar a decisão aos pênaltis ou então por três gols de diferença para ser campeão. O clube colorado atuou boa parte da etapa final com um a menos – Leandrão foi expulso.

Durante a partida, Corinthians e Internacional mostraram muita garra, não desistiram de nenhum lance e criaram ótimas chances de gol. Mas a equipe da casa foi mais eficiente, talvez por ter aproveitado os desfalques da equipe do Rio Grande do Sul, que não contou com Nilmar e Kléber (ambos na seleção brasileira), Bolívar (suspenso) e D’Alessandro (machucado). O Timão, por sua vez, não teve André Santos (na seleção).

No próximo fim de semana, ainda em clima de Copa do Brasil, Corinthians e Internacional entram em campo pelo Campeonato Brasileiro. O Timão tem pela frente um clássico contra o São Paulo, domingo, às 18h30m, no Pacaembu. Já o Colorado atua fora de casa, no mesmo dia e horário, diante do Flamengo, no Rio de Janeiro.

Um primeiro tempo digno de final. Tanto Corinthians quanto Internacional se arriscaram no ataque, dividiram todas as bolas com vontade e procuraram, cada um ao seu jeito, a melhor maneira de levar perigo. No balanço geral, a vibração do Timão, contagiado pela torcida, fez a diferença na etapa inicial.

O primeiro lance da partida já mostrou que a marcação sobre Ronaldo seria dura. Aos 25 segundos, o zagueiro Álvaro chegou forte no atacante e cometeu falta. Com um minuto, a primeira chance dos anfitriões. Após cruzamento de Douglas da esquerda, Chicão cabeceou por cima do goleiro Lauro, mas o lateral Marcelo Cordeiro salvou.

A postura corintiana de pressionar a saída de bola do Colorado atrapalhou bastante a equipe gaúcha. Mesmo assim, aos 3 minutos, Alecsandro apareceu bem pela direita da grande área e foi desarmado com carrinho de William. Os jogadores do Internacional reclamaram de pênalti, mas o árbitro Heber Roberto Lopes mandou a partida seguir.

Passada a pressão inicial do Corinthians, o jogo ficou mais equilibrado. Se os donos da casa chegaram com perigo aos 4, quando Alessandro tabelou com Dentinho e tentou cruzamento para Ronaldo, os visitante responderam aos 5 com Marcelo Cordeiro. O lateral-esquerdo apareceu em velocidade e cruzou para o meio. William afastou.

Depois de intensa disputa pela bola no meio-de-campo, com chutões, erros de passe e algumas faltas, as boas jogadas voltaram aos 12 minutos. Elias desarmou Guiñazu e tocou para Cristian, que avançou até perto da grande área e arriscou. A bola foi por cima do gol. Aos 18 foi a vez do Inter. Danilo Silva ganhou de William na corrida pela direita e cruzou para Alecsandro, mas o goleiro Felipe chegou antes do atacante.

Em apenas dois minutos, Corinthians e Internacional criaram suas melhores jogadas até então na partida. O Timão aos 22, quando Jorge Henrique lançou Dentinho na direita. Ele cruzou para Ronaldo chutar, da pequena área, em cima de Lauro. Aos 23, o Colorado chegou com Marcelo Cordeiro, que recebeu de Andrezinho na cara de Felipe. O goleiro saiu para abafar e o lateral tocou para o meio. William, de novo, salvou.

Aos poucos, a torcida do Timão foi se agitando cada vez mais nas arquibancadas. Em campo, o time sentiu isso e respondeu indo para o ataque com intensidade. E não demorou muito para conseguir o gol. Aos 26, Marcelo Oliveira apareceu bem na esquerda, se livrou de um marcador e cruzou para Jorge Henrique completar: 1 a 0.

Em desvantagem, o Colorado tentou incomodar mais o rival. A equipe gaúcha teve duas boas oportunidades de empatar ainda na etapa inicial. Primeiro com Andrezinho, aos 35 minutos. Ele chegou chutando após cruzamento de Cordeiro. Felipe defendeu. Depois aos 37. Andrezinho cobrou falta para área e Magrão cabeceou para fora.

As duas equipes voltaram para o segundo tempo da mesma maneira, sem alterações. Só que dessa vez quem tomou a iniciativa de ir para o ataque primeiro foi o Internacional. Logo no primeiro minuto, o jovem Taison, de 21 anos, recebeu a bola na entrada da área e arriscou o chute. Só que a bola passou longe demais do gol.

Embora o Colorado tivesse ameaçado uma pressão, a equipe alvinegra logo recuperou o domínio do meio-campo. Fora da grande área, Ronaldo começou a ajudar na armação das jogadas. Serviu Dentinho, Jorge Henrique… Mas pouco depois voltou a se posicionar como atacante. E dessa maneira ele é decisivo.

Aos 8 minutos, o Fenômeno recebeu ótimo passe de Elias, que cobrou falta rapidamente com a bola rolando, na direita, dominou e arrancou ao seu melhor estilo. Já na área, deu corte no zagueiro Índio e chutou rasteiro de perna esquerda para marcar o segundo do Timão na partida. O gol acabou com um jejum de 40 dias, ou cinco jogos, sem balançar as redes.

Antes de anotar contra o Internacional na decisão desta quarta-feira, Ronaldo havia marcado pela última vez no dia 6 de maio, na partida de volta das oitavas de final, contra o Atlético-PR. Ele fez os dois na vitória por 2 a 0 do Alvinegro. O gol ainda confirmou o pressentimento do técnico Mano Menezes de que o craque seria decisivo.

O Internacional, porém, é guerreiro. Não desistiu de encontrar o seu gol fora de casa, que na Copa do Brasil tem grande importância. A equipe gaúcha chegou perto aos 16 minutos. Andrezinho cobrou falta colocada e viu o goleiro Felipe se esticar todo para fazer linda defesa e espalmar para escanteio. Na sequência, nenhum perigo.

Só que os gaúchos não desistiram. Mantiveram a postura ofensiva, ora com Andrezinho, ora com Taison. A zaga do Corinthians, então, começou a mostrar sua força. Aos 22 minutos, Taison recebeu bom passe na frente, mas foi travado por Chicão na hora do chute. Aos 24, Andrezinho arriscou de fora e assustou Felipe.

O camisa 1 do Corinthians, por sinal, mais uma vez fez a diferença. Em excelente fase, ele fez outra importante defesa aos 28 minutos. Lançado em velocidade nas costas da zaga alvinegra, o atacante Taison apareceu bem posicionado na cara do gol. O chute, porém, parou em Felipe, que saiu do gol e diminuiu o espaço do adversário.

A muralha corintiana voltou a aparecer aos 31 minutos. Guiñazu arriscou chute forte da esquerda e ele voou para realizar outra defesa. Aos 37 minutos, o Corinthians teve ótima chance de amplia. Elias chutou de longe, Lauro deu rebote e Jorge Henrique chutou em cima do goleiro. Mas o árbitro já assinalava impedimento.

O Corinthians não marcou mais um, mas soube segurar o Internacional, que tentou reagir de todas as maneiras. Agora, a decisão no Sul promete emoção.

 

Crédito: Globo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat