• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Dupla que quebrou o jejum brasileiro em Wimbledon foi formada por acaso

 Dupla que quebrou o jejum brasileiro em Wimbledon foi formada por acaso
Digiqole ad

Demorou 48 anos para que um brasileiro voltasse a levantar um troféu na grama sagrada de Wimbledon. Desde Maria Esther Bueno em 1966 que nenhum tenista do país era campeão do terceiro Grand Slam do ano e, neste domingo, Marcelo Zormann e Orlando Luz garantiram o título de duplas juvenis da competição, ao derrotarem o americano Stefan Kozlov e o russo Andrey Rublev por 2 sets a 1. A parceria, porém, é de longa data somente na amizade, não dentro das quadras:

– Sou bem amigo do Orlando, mas meu parceiro sempre foi o Rafael (Matos). Mas, como eu e o Orlando nos classificamos para os Jogos Olímpicos da Juventude e lá jogaremos duplas também, precisávamos treinar para o evento e nos inscrevemos em Wimbledon – explicou Marcelo, de 18 anos.

Os Jogos Olímpicos da Juventude serão realizados em agosto, na China. É a segunda edição do evento organizado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), que reunirá mais de 3000 atletas de 28 modalidades e 204 países. Com limite de atletas por esporte, os jogadores que estarão na chave de duplas serão os mesmos que jogarão em simples, por isso os dois farão a parceria brasileira nos Jogos. Depois do título em Wimbledon, Marcelo quer a medalha inédita nas Olimpíadas:

– Estamos treinando bem para os Jogos da Juventude. Quero brigar pela medalha no individual e nas duplas. Depois, participo do torneio juvenil do US Open e aí encerro minha carreira na categoria. O foco vira só no adulto – contou o tenista.

O jovem tenista é o número 699 do ranking mundial da ATP, atualmente encabeçado pelo sérvio Novak Djokovic, campeão da chave adulta de Wimbledon. Marcelo foi vice-campeão de um torneio future na França no mês de junho e chegou até a semifinal de uma competição do mesmo escalão na Espanha. Nos próximos meses, disputará o maior número de torneios no adulto em busca de subir na classificação:

– Quero jogar bem, pegar experiência e terminar o ano no grupo dos 500 melhores do ranking mundial adulto- disse o jogador, 16º no ranking juvenil.

Apesar de ainda jogar campeonatos juvenis, Marcelo já conviveu, mesmo que por alguns minutos, com os melhores tenistas do mundo. Como os Grand Slams para atletas até 18 anos são disputados simultaneamente com os campeonatos adultos, em alguns momentos, Zormann consegue encontrar os melhores do mundo e até bater uma bola com eles. Em seu álbum, Marcelo tem fotos com Rafael Nadal, Andy Murray, Stanislas Wawrinka, Novak Djokovic e, claro, o brasileiro Gustavo Kuerten.

– É muito bom ficar perto desses tenistas. É um aprendizado muito grande jogar um pouquinho com esses caras. E, sempre que possível, consigo tirar umas fotos com eles – comentou Marcelo.

Nascido em Lins, interior de São Paulo, Marcelo Zormann começou a jogar tênis aos cinco anos, em 2001, auge de Gustavo Kuerten no circuito mundial. Mas, a referência de Marcelo não era Guga e sim o avô, Sergio Zormann, professor de tênis. Com a dificuldade de encontrar quadras de grama no Brasil, Marcelo não costuma jogar nesse tipo de piso, tanto que Wimbledon foi apenas seu segundo torneio na superfície.

A família também levou Orlando ao tênis. O gaúcho pegou gosto pelo esporte ao ver seu pai, o professor Orlando Luz, dando aulas em uma academia. Esse ano, Orlandinho, como é conhecido, encerrou um jejum de 33 anos sem títulos de um brasileiro no Banana Bowl, tradicional competição para atletas até 18 anos e que já foi conquistado por tenistas consagrados como Ivan Lendl, John McEnroe, Andy Rodick e Ana Ivanovic. Há pouco mais de um mês, se destacou em Roland Garros, onde alcançou a semifinal individual.

Marcelo e Orlando conquistaram o 27º título de Grand Slam do Brasil na história do tênis. O último troféu levantado por um brasileiro foi em 2012, com Bruno Soares, campeão da duplas mistas ao lado da russa Ekaterina Makarova. Em Wimbledon, eram oito conquistas, todas com Maria Esther Bueno, cinco nas duplas e três em simples.

 

Crédito: Globo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat