• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Duas praças de pedágio são atacadas na serra gaúcha

Digiqole ad

Dois ataques a praças de pedágio foram registrados esta madrugada na serra gaúcha. Os crimes aconteceram na rodovia que liga Nova Petrópolis a Gramado (ERS-235), em Gramado, e na rodovia que liga Caxias do Sul a Flores da Cunha (ERS-122), em Flores.

O primeiro ataque, em Gramado, ocorreu por volta da 1h30min, conforme a Brigada Militar (BM). Os funcionários do pedágio relataram que pelo menos quatro criminosos chegaram em um Fiat Palio Weekend com coletes à prova de balas, toucas ninjas e roupa preta, portando armas longas, participaram do assalto.

Os bandidos obrigaram funcionários e também os motoristas que estavam na praça aguardando passagem a formar um cordão humano no meio da pista enquanto utilizaram explosivos para arrombar os dois cofres do pedágio. Alguns maços de dinheiro e todo o valor existente nos clichês foram levados pelo grupo.

Na fuga, os criminosos roubaram um Chevrolet Corsa e acoplaram uma placa de metal no vidro traseiro para o caso de um confronto com a BM. Um funcionário foi levado como refém e solto cerca de 600 metros depois, sem ferimentos graves. Alguns tiros foram disparados para cima, mas ninguém ficou ferido.

A energia elétrica do local foi prejudicada pela explosão e a cobrança do pedágio está suspensa até o restabelecimento da energia. O valor roubado ainda não foi contabilizado pela concessionária Brita Rodovias, que administra a praça.

Roubo em Flores da Cunha

O outro assalto, em Flores da Cunha, aconteceu por volta das 3h. O cofre do local também foi explodido. Os funcionários foram mantidos reféns durante o ataque, mas ninguém se feriu.

De acordo com a Brigada Militar, cinco criminosos, com revólveres e escopetas, participaram do segundo assalto. Eles chegaram em um Toyota Corolla e em um Ford Fusion e fugiram em um Ford Ka e em um Chevrolet Monza roubados de motoristas que passaram pelo posto.

Durante o ataque, os bandidos atravessaram um caminhão na pista. Quando fugiram, espalharam miguelitos (grampos de metal usados para furar pneus) na pista.

A praça de Flores da Cunha é administrada pela concessionária Convias, do consórcio Univias.

Ataques podem não ter relação

A polícia não confirmou quanto dinheiro foi levado dos três cofres. A delegada Aline Martinelli, de Flores da Cunha, suspeita que sejam dois bandos diferentes. O motivo são as características das armas e roupas utilizadas pelos assaltantes. Já o delegado Juliano Ferreira, titular da Delegacia de Roubos do DEIC, suspeita que os roubos foram praticados pela mesma quadrilha.

O centro das investigações é o grupo de Elisandro Rodrigo Falcão, o assaltante foragido número um do Estado.

 

Crédito: Pioneiro/Foto: Divulgação

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat