• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Delegacia de Polícia de Jaquirana envia inquérito sobre operação Democracia Limpa

Digiqole ad

No total, foram dois meses e meio de investigação que contou com inúmeras diligências, como a interceptação de mais de 15 mil ligações telefônicas, a transcrição de mais de 350 páginas referentes às ligações interceptadas, o cumprimento de Mandados de Busca e Apreensão em 16 diferentes lugares, a quebra de sigilo telefônico e bancário, a realização de uma auditoria pelo Tribunal de Contas, a confecção de aproximadamente de 60 depoimentos, etc.

As diligências realizadas integram um Inquérito Policial com quatro volumes e aproximadamente 700 páginas.

Conforme informações do Dr. Flademir Paulino de Andrade, delegado de Polícia responsável pela Delegacia de Polícia da cidade de Jaquirana, foram indiciadas 16 pessoas, estando entre elas:

Ivan Lauro Rauber, filho do prefeito reeleito pela Coligação UNIJAQ (formada pelos partidos PP, PMDB, PPS e DEM), presidente do PP, Presidente do Comitê Financeiro do PP e coordenador de campanha; José Evandro Pereira dos Reis, coordenador de campanha do prefeito reeleito e cabo eleitoral do vereador eleito Wilson da Silva Duarte conhecido como “Capacete”; Orestes Ângelo Andelieri, vereador reeleito pela terceira vez; José Pereira dos Santos, conhecido como Zé do Aprigio, vereador eleito; Maria Isabel Rauber, filha do prefeito reeleito e coordenadora de campanha; Heliovan Pereira Turella, genro do prefeito reeleito e coordenador de campanha e José Cláudio Pereira, secretário da Fazenda de Jaquirana.

Os indiciamentos foram realizados pela prática dos crimes de corrupção eleitoral (ativa e passiva) – art. 299 do Código Eleitoral, Transporte de eleitores – previsto no art. 11, III, da Lei 6091/74; peculato e formação de quadrilha, previstos do Código Penal.

Os indiciados no Inquérito Policial ficarão sujeitos a penas que poderão chegar a quatro anos de reclusão pelo crime de Corrupção Eleitoral; a seis anos de reclusão pelo crime de Transporte de Eleitores; a doze anos pelo crime de Peculato e a três anos pela prática do crime de Formação de Quadrilha.

O Inquérito Policial será remetido no dia de hoje à Justiça Eleitoral onde deverá ser ajuizada a Ação Penal para buscar a condenação dos indiciados.

O Ministério Público, com base no Inquérito Policial, deverá entrar com representação por Captação Ilícita de Sufrágio, buscando, no âmbito extra-penal, cassações dos registros de candidaturas ou de diplomações de políticos envolvidos.

 

Crédito: Adelar Gonçalves/Dep. Jornalismo e delegado Flademir Paulino de Andrade

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat