• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Consumidores criam o hábito de reclamar via redes sociais

 Consumidores criam o hábito de reclamar via redes sociais
Digiqole ad

Com a popularização das redes sociais, a relação entre cliente e empresa está mudando e ficando cada vez mais transparente. O Serviço de Atendimento ao Consumidor, o famoso SAC, começa a disputar espaço com a internet. Fortes e importantes canais de interação, Twitter e Facebook são frequentemente utilizados pelo consumidor para reclamar, e pelas empresas para estabelecer um relacionamento direto com seu público por meio de respostas às dúvidas, críticas e elogios.

Possivelmente, você já se viu diante de alguma situação de dificuldade, com relação à falta de comunicação com lojas ou operadoras de telefonia e tevê. São inúmeros casos, todos os dias, e as redes sociais têm funcionado como porta para o cliente manifestar insatisfação e exigir seus direitos.

A ideia que se faz é de que, ao tornar público um problema, a preocupação da empresa em resolver a situação se torna maior. Hoje em dia, ignorar a palavra de um cliente é ver sua marca mal falada na rede. A disseminação de informações é tão grande e ágil que não há como apagar rastros. Em função disso, muitas companhias buscam mais agilidade para solucionar os problemas desses consumidores e investem na qualidade de atendimento.

 

5 cuidados que o consumidor deve ter ao reclamar nas redes sociais

É importante lembrar que a melhor maneira para se reclamar de uma empresa é sempre com educação e sem perder a razão.

Procure não escrever na internet quando estiver de cabeça quente. O ideal é manter a calma e medir as palavras.

Não discuta, não bata boca. Demonstre o que está errado e peça educadamente o reparo.

Não desqualifique o serviço ou produto com palavras pejorativas, chamando de “porcaria”, por exemplo. 

Evite agressões verbais e expressões caluniosas.

 

Para o agente funerário Lucas Silva, 35 anos, de Porto Alegre, é perceptível a diferença entre call center e redes sociais quando se fala em atendimento a reclamações. Segundo ele, seu problema não teria sido solucionado se não tivesse recorrido ao Facebook. Lucas comprou um notebook no Hipermercado Big, da rede Walmart, na promoção Black Friday. Chegou em casa empolgado para usar o aparelho, Mas veio a decepção. Ao usar o teclado, uma das letras não funcionava. Voltou à loja, e o técnico disse que não tinha conserto.
– Falei com o gerente, que me tratou com indiferença, como se a culpa do problema fosse minha. Mas o próprio técnico me disse que eu não era o primeiro a reclamar. Aquele lote do produto estava mesmo com defeito – afirma.

Diante da falta de perspectiva para solução do seu problema, não pensou duas vezes: publicou uma reclamação na sua página do Facebook, marcou a empresa e mandou mensagem fechada.
No outro dia, o retorno. Trocaram o notebook por um aparelho de outra marca, mas ele teve que pagar a diferença de R$ 100.
– Na hora, eu só pensava em solucionar a situação, precisava muito do notebook, mas não deveria ter pago essa diferença. Se o lote estava com defeito e eles não tinham um note do mesmo valor para me oferecer, deveriam arcar com a diferença – contesta.

 

 

Crédito: http://diariogaucho.clicrbs.com.br/rs/dia-a-dia/noticia/2015/03/consumidores-criam-o-habito-de-reclamar-via-redes-sociais-4719669.html

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat