• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Com trégua a Dunga, Brasil vence Peru e assume vice-liderança

Digiqole ad

De volta ao Rio Grande do Sul e ao Estádio do Beira-Rio, onde se destacou pelo Internacional em seus tempos de jogador, o técnico Dunga pôde contar com o apoio do torcedor gaúcho para comandar mais uma vitória da Seleção Brasileira nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010. Na noite desta quarta-feira, com dois gols de Luís Fabiano, o time nacional venceu o Peru por 3 a 0, resultado que o leva à vice-liderança da etapa sul-americana da competição, ultrapassando os rivais Chile e Argentina.

Vaiado em todos os compromissos diante do torcedor brasileiro nas Eliminatórias, mesmo nas vitórias contra Equador e Uruguai, o técnico Dunga encontrou um ambiente favorável no Beira-Rio e teve o apoio das arquibancadas durante toda a partida. Desta vez, os gritos de “Fora Dunga”, presente nos empates sem gols contra Argentina, Bolívia e Colômbia, foram substituídos pelos aplausos e mensagens de apoio ao trabalho do ex-volante do Internacional.

Um dos poucos momentos de insatisfação do torcedor gaúcho foi registrado aos 40min de bola rolando, em um erro de passe de Robinho no meio-campo. O jogador do Manchester City foi um dos poucos que ouviu protestos vindos das arquibancadas, que passaram a cobrar a entrada do ídolo local Alexandre Pato, pedido que foi mantido até os 25min, quando a alteração foi feita. No entanto, mesmo com o ambiente favorável, foi possível ver grandes espaços vazios no estádio, principalmente atrás dos gols defendidos por Júlio César e Leao Butrón.

Além de apagar a má imagem deixada no empate com o Equador em Quito e encostar no líder Paraguai, a Seleção de Dunga ganha novo ânimo antes da série de “decisões” que terá pela frente para garantir presença na África do Sul em 2010. Em junho, o time brasileiro vai encarar o Uruguai em Montevidéu e o líder Paraguai em casa. Já em setembro, pega a Argentina em Buenos Aires, antes de encarar o Chile novamente em território nacional.

Para se reabilitar e ganhar novo ânimo para os próximos duelos decisivos nas Eliminatórias, o Brasil teve pela frente um rival fácil de ser batido. Na lanterna da competição, com apenas sete pontos e cinco atrás de seu rival mais próximo, a Bolívia, o time peruano veio ao Rio Grande do Sul cheio de desfalques, crise interna com afastamento de jogadores e ainda mais cansado que o rival, já que atuou na noite de domingo contra o Chile e só desembarcou no Brasil um dia antes do duelo.

Diante do lanterna, a Seleção não deu motivos para o torcedor mostrar impaciência nos primeiros minutos e criou boas chances desde o início, principalmente com Luís Fabiano. Na primeira delas, o atacante recebeu de Kaká, passou pelo goleiro e tocou para as redes, mas o lance foi invalidado por impedimento. Em seguida, o centroavante do Sevilla foi acionado na direita e bateu cruzado, levando perigo novamente ao Peru. No entanto, na terceira chance que caiu nos seus pés, não perdôou e balançou as redes.

Com 17min de bola rolando, depois de ver Kaká entrar na área e ser derrubado por Zambrano, o artilheiro brasileiro nas Eliminatórias bateu pênalti com precisão e encerrou um jejum de 313 minutos do time verde e amarelo sem anotar um gol sequer como mandante na competição. Nove minutos depois, em posição duvidosa, Luís Fabiano recebeu passe de Daniel Alves e ampliou o marcador em Porto Alegre, para ser ovacionado pelo torcedor gaúcho.

Na etapa final, a estrela de Dunga voltou a brilhar e manter a afinidade do treinador com a torcida gaúcha. Uma das principaos apostas do comandante no atual elenco, o volante Felipe Mello apareceu bem aos 19min de bola rolando após o intervalo e foi o responsável pelo gol que fechou o duelo. Depois de ganhar dividida no meio-campo, o jogador da Fiorentina avançou e tocou com a perna esquerda no canto do goleiro Butrón.

Com a vitória garantida, Dunga tratou de agradar a torcida que foi ao Beira-Rio. Depois de promover a entrada de Pato no lugar de Robinho, foi a vez dos gremistas festejarem com a entrada de Ronaldinho na vaga de Elano. Em paz com as arquibancadas, o técnico teve seu nome gritado por um pequeno número de fãs, assim como ocorreu com outros jogadores que tiveram passagem pelo futebol do Rio Grande do Sul, como o zagueiro Lúcio e Kléber, dono da lateral esquerda do Inter.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 3 x 0 PERU

Gols
Brasil: Luís Fabiano, aos 17min e aos 26min do 1º tempo, e Felipe Mello, aos 19min do 2º tempo

Deslizes da arbitragem
– Não marcação de impedimento do atacante Luís Fabiano aos 26min do primeiro tempo, quando recebeu passe de Daniel Alves, dominou no peito e marcou o seu segundo gol na partida

Ponto Forte do Brasil
– Volta de Kaká ao meio-campo, mudança que deu mais movimentação à equipe e maior poder de criação ao setor ofensivo;
– Atuação destacada de Luís Fabiano, autor de dois gols e participante das principais jogadas ofensivas da partida

Ponto Fraco do Brasil
– Atuação apagada de Robinho, que sem conseguir sair da marcação peruana, foi substituído no segundo tempo

Ponto Fraco do Peru
– Fraca marcação sobre Luís Fabiano, jogador mais perigoso do ataque brasileiro

Personagem do jogo
Luís Fabiano

Esquema Tático do Brasil
4-4-2
Júlio César; Daniel Alves, Lúcio, Luisão (Miranda) e Kléber; Gilberto Silva, Felipe Melo, Elano (Ronaldinho) e Kaká; Robinho (Alexandre Pato) e Luís Fabiano; técnico: Dunga

Esquema Tático do Peru
4-4-2
Leao Butrón; Amilton Prado, Carlos Zambrano, Alberto Rodríguez e Walter Vílchez; Nolberto Solano (José Carlos Fernandéz), Rainer Torres, Juan Carlos La Rosa e Luis Ramírez (Piero Alva); Pedro García (Alexander Sánchez) e Johan Fano; técnico: José del Solar

Cartões Amarelos
Peru: Leao Butrón e Nolberto Solano

Árbitro
Sergio Pezzota (ARG)

Local:
Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)

 

Crédito: Terra

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat