• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Com cara de Rio, Brasil bate a Rússia e segue líder invicto do Grand Prix

 Com cara de Rio, Brasil bate a Rússia e segue líder invicto do Grand Prix
Digiqole ad

O jogo entre Brasil e Rússia em nada lembrou os grande clássicos realizados pelas seleções nos recentes campeonatos mundiais e Jogos Olímpicos. Nesta tarde de quinta-feira, o confronto das remodeladas equipes teve o carro verde e amarelo passando por cima das russas. A tranquila vitória por 3 sets a 0 (25/18, 25/14 e 25/17), no Pala Catania, na Itália, pela primeira rodada da terceira fase do Grand Prix, manteve o time na liderança do torneio, com 21 pontos, e os 100% de aproveitamento.

Com o técnico José Roberto Guimarães e algumas das principais estrelas na disputa do Pan-Americano, as decacampeãs do torneio foram comandadas pelo auxiliar Paulo Coco e tiveram em quadra uma formação titular com cara de campeã da Superliga. Das seis, apenas a levantadora Dani Lins não atua no Rio de Janeiro. Gabi, Natália, Juciely e Carol, no elenco da última temporada, e Monique, nova aquisição do time de Bernardinho, completaram o sexteto. O entrosamento pôde ser visto na velocidade de viradas de bolas e na colocação de bloqueio. Antigo drama contra as europeias, o quesito foi o ponto forte da meninas do Brasil, que “golearam” as adversárias por 12 a 4. 

– Nós estamos felizes por essa vitória, especialmente pela performance do time. Fizemos um grande trabalho de bloqueio e um difícil jogo para o time russo – declarou Paulo Coco.

Mais uma vez, Juciely foi a principal pontuadora do Brasil. A central anotou 17 pontos, quatro de bloqueio. Natália, com 13 (11 em ataques) e Carol, com 12 (oito em ataques, três em bloqueios e um ace) foram outros destaques. Na Rússia, apenas a oposta Malykh conseguiu 19 pontos (18 de ataque) e foi quem mais marcou na partida.

O Brasil volta à quadra nesta sexta-feira. Seu adversário será a caçula da edição, a Bélgica, já sem chance de avançar à fase final, em Omaha, nos EUA. O duelo está marcado para as 12h10m e terá a transmissão do SporTV. O GloboEsporte.com faz a cobertura em Tempo Real.

Dani Lins pode ter tido dúvidas se estava atuando pelo Brasil ou retornando ao time do Rio de Janeiro. Ao olhar para o lado, a levantadora do Osasco viu as ponteiras Gabi e Natália e as centrais Carol e Juciely, quatro campeãs da última Superliga. E Monique, recém-contratada para o time de Bernardinho. O entrosamento funcionou. O passe saiu. O bloqueio encaixou. Natália estreou bem como titular e anotou quatro pontos. Carol e Juciely deram velocidade pelo meio (9/5). Melhor bloqueadora da competição, a “baixinha” Carol fechou as portas às gigantes russas, além de fugir do paredão à sua frente. Ela botou a bola na quadra rival por sete vezes (três bloqueios e quatro ataques). Principal pontuadora do Grand Prix, Goncharova veio do banco e em suas duas tentativas sentiu na pele o poder da brasileira (16/12). Bem na primeira metade, Natalia Malykh e suas companheiras passaram a errar ataques consecutivos no final. Monique, não (25/18).

A recepção russa continuou sendo seu calcanhar de Aquiles. O bom saque do Brasil não permitiu a Kosianenko variar as jogadas. Malykh, pela ponta, era a única a conseguir impor algum trabalho ao absoluto bloqueio brasileiro. Se no passado era o paredão russo que causava problemas ao time verde e amarelo, desta vez, a “goleada” foi brasileira. Quando a bola não parou nas “cariocas” Carol, Juciely e Natália, Sassá deu conta do recado (16/11), com duas defesas de uma verdadeira líbero. Paulo Coco promoveu a inversão, com as entradas de Roberta e Ivna. A dupla estreante mostrou personalidade de veterana e fechou a acachapante vitória por 11 pontos de diferença (25/14).

Com as titulares de volta, o Brasil continuou muito superior no terceiro set. Juciely e Carol pouco deixaram a defesa trabalhar (7/2). Sem virar, o técnico russo trocou de levantadora e colocou Efimova em quadra. Não funcionou (17/10). Paulo Coco promoveu nova inversão. Ao contrário do set anterior, a dupla Roberta/Ivna não deu certo. A Rússia cortou a diferença (17/14). De volta à quadra, Dani Lins usou Natália como desafogo. Tudo retornou à normalidade. Gabi, no 12º bloqueio do Brasil no jogo, enterrou as rivais (vitória por 3 a 0) e manteve a invencibilidade e liderança da seleção no Grand Prix (25/17).

Escalação:
Rússia: Kosianenko, Malykh, Fetisova, Lyubushkina, Shcherban, Biryukova. Líbero: Malova 
Brasil: Dani Lins, Juciely, Carol, Gabi, Natália e Monique. Líbero: Sassá.

Foto: Divulgação / FIVB

 

Crédito: http://globoesporte.globo.com/volei/noticia/2015/07/com-cara-de-rio-brasil-bate-russia-e-segue-lider-invicto-do-grand-prix.html

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat