• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Colisão com asteróide gigante fez Lua “girar” 180 graus

Digiqole ad

Um estudo realizado por cientistas franceses sugere que um gigantesco impacto causado por um asteróide teve força suficiente para fazer a Lua girar 180 graus, deixando visível o lado que atualmente podemos enxergar da Terra. Os pesquisadores chegaram a essa conclusão depois de análises em algumas crateras da superfície lunar. As informações são do The Guardian.

Devido à órbita atual do satélite, o lado mais próximo, e também mais iluminado, é o que pode ser visto do nosso planeta quando olhamos para cima. A sombra que paira sobre o lado negro – mais distante – está em constante movimento, dependendo da posição em relação ao Sol.

A equipe do Instituto de Física da Terra de Paris, na França, verificou a idade e a localização de 46 crateras formadas por asteróides de grandes proporções na superfície da Lua.

Segundo os cientistas, simulações de computador mostraram que, se a mesma face lunar estivesse virada para a Terra, o hemisfério ocidental do satélite, observável por nós, deveria ter um terço a mais de buracos do que o oriental por causa da órbita. “Comparando, seria como correr na chuva: a parte da frente ficaria mais molhada do que as costas”, explicaram.

Os responsáveis pela pesquisa Marcos Wieczorek e Matthieu le Feuvre avaliaram que o hemisfério ocidental possui as crateras mais jovens da Lua, enquanto o outro lado tem as mais antigas. Em razão disso, a região oriental foi muito mais atingida por asteróides do que a outra. Os resultados foram divulgados na revista científica New Scientist.

“Um único impacto foi capaz de fazer a Lua dar um giro de 180 graus”, disseram os autores na revista Icarus. As crateras lunares surgiram em uma grande colisão há 3,9 bilhões de anos, pouco tempo após o satélite nascer dos detritos da Terra produzidos por uma explosão cósmica ainda maior.

 

Crédito: Terra

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat