• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Button vence e Barrichello faz dobradinha histórica da Brawn GP

Digiqole ad

A Brawn GP fez história neste domingo, no GP da Austrália de Fórmula 1, em Melbourne. Com o inglês e pole position Jenson Button, a equipe – estreante na categoria – repetiu o feito da Wolf, extinta equipe que venceu o GP da Argentina de 1977, e mostrou que os ótimos resultados obtidos nos testes da pré-temporada não foram por acaso. O outro piloto da escuderia, o brasileiro Rubens Barrichello, teve problemas na largada e contou com uma batida entre o polonês Robert Kubica e o alemão Sebastian Vettel para fechar a corrida na segunda colocação e garantir a dobradinha da ex-equipe Honda.

A Brawn GP atingiu outro feito na Austrália, já que desde 1954 uma equipe não fazia uma dobradinha em sua estréia na Fórmula 1. A última escuderia a atingir tal feito foi a Mercedes, naquele ano, com Juan Manuel Fangio e Karl Kling, no GP da França.

Barrichello caminhava para um quarto lugar em Melbourne quando Kubica, então terceiro colocado, brigou pela segunda posição com Vettel. Os dois se chocaram e o polonês logo saiu da prova, enquanto o alemão viu seu eixo dianteiro entortar.

Principal esperança brasileira na prova, Barrichello saiu mal de sua segunda posição no grid de largada e foi ultrapassado por cinco carros. Já seu colega de equipe, Button, não deu chances para o azar e se manteve a frente dos rivais, sendo acompanhado por Vettel e o brasileiro Felipe Massa, da Ferrari – este que largou em sexto na pista de Albert Park.

Na largada, Barrichello bateu sua Brawn GP e teve parte de sua asa dianteira danificada. Depois, ao tentar ultrapassar o finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari, o brasileiro voltou a bater a frente de seu carro, tendo que modificar a peça na 20ª volta.

Massa, por sua vez, se manteve na briga pelas primeiras colocações, menos quando teve de ir aos boxes e retornou à pista atrás da zona de pontuação, mas abandonou a prova na 47ª volta, com problemas mecânicos.

Outro brasileiro na pista, Nelsinho Piquet também deixou a disputa mais cedo. O competidor da Renault largou em 14º na primeira prova da temporada da Fórmula 1, estava em sétimo quando perdeu o controle do carro e saiu da pista na 25ª volta.

Atual campeão mundial, o inglês Lewis Hamilton, da McLaren, largou na 18ª posição e fez uma boa prova de recuperação, alcançando o quarto lugar ao fim das 58 voltas no circuito de Albert Park com a confusão envolvendo Vettel e Kubica.

Pilotos e equipes terão agora poucos dias para descansar, já que a próxima etapa do Mundial de Fórmula 1 está marcada para o dia 5 de abril – no próximo domingo -, no circuito de Sepang, na Malásia.

Confira a classificação do GP da Austrália:

1. Jenson Button (GBR) Brawn GP – 58 voltas
2. Rubens Barrichello (BRA) Brawn GP – a 0s8
3. Jarno Trulli (ITA) Toyota – a 1s6
4. Lewis Hamilton (GBR) McLaren – a 2s9
5. Timo Glock (ALE) Toyota – a 4s4
6. Fernando Alonso (ESP) Renault – a 4s8
7. Nico Rosberg (ALE) Williams – a 5s7
8. Sebastien Buemi (SUI) Toro Rosso – a 6s
9. Sebastian Bourdais (FRA) Toro Rosso – a 6s2
10. Adrian Sutil (ALE) Force India – a 6s3
11. Nick Heidfeld (ALE) BMW – a 7s
12. Giancarlo Fisichella (ITA) Force Indian – a 7s3
13. Mark Webber (AUS) Red Bull – a 1 volta
14. Sebastien Vettel (ALE) Red Bull – a 2 voltas
16. Robert Kubica (POL) BMW – a 3 voltas
13. Kimi Raikkonen (FIN) Ferrari – a 3 voltas (problema mecânico)
17. Felipe Massa (BRA) Ferrari – a 13 voltas (problema mecânico)
18. Nelsinho Piquet (BRA) Renault – a 34 voltas (escapada)
19. Kazuki Nakajima (JAP) Williams – a 41 votas (batida)
20. Heikki Kovalainen (FIN) McLaren – a 58 voltas (suspensão)

 

Crédito: Terra

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat