• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Bruninho corre o risco de ficar fora dos últimos jogos da 1ª fase do Mundial

 Bruninho corre o risco de ficar fora dos últimos jogos da 1ª fase do Mundial
Digiqole ad

A mão direita acordou inchada. As dores da pancada sofrida no jogo contra a Tunísia ainda incomodavam Bruninho. Passou a quinta-feira fazendo fisioterapia, tratamento com gelo e tomando antiinflamatório. Por precaução, bateu bola durante poucos minutos no treino desta tarde, em Katowice, mas não arriscou nenhum levantamento. Não com as mãos. Usava a cabeça e arrancava sorrisos dos companheiros. Depois teve a o local imobilizado e colocou mais gelo. De acordo com o médico da seleção, Álvaro Chameki, contusões como a dele costumam necessitar de dois a cinco dias de recuperação.

– Hoje ele não tem condição de treinar. Amanhã vamos fazer uma reavaliação. Se conseguir dar toque, a gente vê se tem condições de jogar. Depende da dor que estiver sentindo. Ele teve uma contusão óssea, de ligamento na mão. A previsão nesses casos varia, mas pode ser que precise de dois a cinco dias para voltar a jogar – disse Chamecki.

Líder isolado do Grupo B, o Brasil tem mais três compromissos nesta primeira fase do campeonato. Nesta sexta, contra a Finlândia; no sábado contra a Coreia do Sul; e no domingo contra Cuba. Se precisar de cinco dias para se recuperar totalmente, Bruninho terá de deixar a batuta para Rapha.

– O Bruno é um jogador que vai fazer muita falta, em vários aspectos, se não puder jogar. Ele soma muito para todos nós, mas uma das grandes forças do Brasil é a qualidade do grupo. Os 14 estão preparados e sabem da responsabilidade que têm de representar bem o país. Espero que ele volte o mais rapidamente possível – afirmou Rapha.

Na última quarta-feira, o capitão do time deu um grande susto na equipe na última quarta-feira. Depois de ficar boa parte do terceiro set no banco, voltou à quadra na reta final da parcial e acabou se machucando pouco depois. Ele mergulhou para fazer uma defesa, bateu no pé de Maurício, e a bola ainda sobrou de graça para um adversário fazer o 15º ponto da Tunísia. O capitão seguiu em quadra, mas segurava o dedo machucado a todo momento. Deixou a Spodek Arena direto para o hospital, onde foi feito um raio-x que não apontou nenhuma fratura. Para alívio de Bernardinho.

Embora não esconda o desejo de poder estar novamente em quadra, Bruninho sabe que um pouco de cautela talvez seja o melhor remédio no momento.
– Estou um pouco chateado pela maneira como aconteceu, com o jogo já ganho… Mas não adianta lamentar agora. Dos males o menor. Não teve fratura. Ficar de fora é muito complicado, mas talvez agora não seja uma boa hora para arriscar tanto porque tem muito campeonato pela frente. É melhor deixar a dor diminuir, ainda está com edema. E o Rapha está mais do que preparado para suprir a minha falta. A gente sempre se reveza bastante. Na Itália, em 2010, eu tive uma torção no pé na semifinal e no dia seguinte era a final. Ali era o momento certo de arriscar – disse o levantador.

Com duas vitórias em dois jogos, o Brasil busca seu terceiro triunfo no Mundial da Polônia, nesta sexta-feira, às 15h15 (de Brasília). A partida terá transmissão do SporTV e cobertura em Tempo Real no GloboEsporte.com. Os assinantes do SporTV também podem acompanhar todos os lances pelo SporTV Play.

 

Crédito: Globo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat