• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Brasil sofre susto no 3º set, mas bate Bélgica e vence a 8ª seguida no GP

 Brasil sofre susto no 3º set, mas bate Bélgica e vence a 8ª seguida no GP
Digiqole ad

Sem nenhuma surpresa. O oitavo jogo do Brasil no Grand Prix terminou da mesma forma que os sete anteriores: com vitória. Pela segunda vez na competição, o líder bateu a já eliminada Bélgica por 3 sets a 0 (25/14, 25/17 e 25/23), em 1h28m de duelo, no Pala Catania, na Itália. Após um tranquilo começo de partida, as brasileiras perderam a concentração e quase foram surpreendidas na terceira parcial. O resultado manteve a seleção como líder. Neste sábado, o desafio é contra as donas da casa, pela última rodada da fase de classificação. Vitória por 3 a 0 garante o primeiro lugar geral para a reta decisiva, na cidade de Omaha, nos EUA. Se vencer por 3 a 1 ou 3 a 2, as meninas terão que torcer para a China perder o mesmo número de parciais em duro confronto contra as americanas.

– Aproveitamos os dois primeiros sets que jogamos bem taticamente e concentrados para colocar quase todas as jogadoras em quadra. O terceiro deixou um pouco a desejar porque perdemos a concentração e o saque não teve a mesma eficiência. Com isso, deixamos a Bélgica jogar. Foi bom para o time aprender que não pode jogar desconcentrado. O mais importante foi que conseguimos ganhar mais ritmo, além de ajustarmos o time. Acredito que agora será o principal teste dessa etapa. A Itália está brigando pela classificação, tem um time experiente e vai jogar em casa. Precisamos de um teste como esse para ver qual será nosso comportamento – analisou Paulo Coco.

Maior pontuadora da partida, com 17 pontos, Natália mostra estar bem fisicamente na primeira etapa que disputa desta edição. Gabi, com nove, Monique, com oito, e as centrais Carol e Juciely, com sete, vieram atrás. Laura Heyrman e a capitã Charlotte Leys foram as belgas que mais colocaram bolas na quadra brasileira, com 10 cada.

– Acredito que hoje ataquei bem, mas minha recepção ainda precisa melhorar. Cada dia temos que evoluir um pouco e amanhã teremos uma partida difícil contra a Itália. Elas possuem um time alto e experiente. Vamos ter que entrar em quadra concentradas e jogar bem taticamente – explicou Natália.

Ponto alto até então, o bloqueio canarinho mostrou-se menos efetivo e foi batido no quesito pela primeira vez no torneio (9/7). Porém, foi decisivo na virada do set final, com duas portas fechadas ao ataque belga, quando o embate estava empatado em 23 pontos.

Substituindo Zé Roberto, com a equipe no Pan-Americano, Paulo Coco pôde aproveitar as duas tranquilas parciais iniciais para promover as estreias de Ellen, Suelle e Mara na seleção adulta em um torneio internacional.

O SporTV transmite Brasil x Itália neste sábado, às 15h10 de Brasília. O GloboEsporte.com acompanha ponto a ponto, em Tempo Real.

Com a repetição da base do Rio de Janeiro entre as titulares, o Brasil voltou a apresentar o vôlei exibido contra a Rússia. Três bloqueios em cima de Gabi na mesma jogada, e liderança belga (3/2). A seguir, passeio brasileiro. Em sua passagem no saque, Gabi acabou com a recepção rival (9/3). Natália e Monique viraram quase tudo – as jogadoras foram as únicas a pontuarem no ataque até a segunda parada técnica. Uma sequência ruim do Brasil obrigou Coco a parar o jogo (17/11). Virada de Gabi pôs a partida no eixo. A inversão do treinador, com Roberta no saque e Ivna no ataque, funcionou (22/11). O ataque certeiro da oposta fechou o tranquilo set (25/14).

A supremacia brasileira permitiu ao auxiliar de Zé Roberto utilizar o segundo set para promover as estreias de Suelle e Mari, assim como já tinha feito com Ellen ao final da parcial anterior. Antes disso, as titulares abriram vantagem aos poucos, novamente com as pancadas de Natália. Carol e Juciely cresceram no meio (7/3). Depois de leve queda na recepção, a equipe se recuperou com Dani Lins no serviço (12/7). A Bélgica trocou de levantadora. Não adiantou (15/9). Suelle entrou e virou sua primeira bola (19/11). Nova inversão, com Roberta e Ivna. Mara veio pro lugar de Carol. A central repetiu Suelle e logo pontuou. Leys realizou nova boa sequência em seu saque e cortou um pouco da desvantagem (19/14). Mas uma largada de Suelle atrás do triplo fechou o set (25/17).

A tranquilidade na partida diminuiu o nível de concentração das titulares na primeira metade do terceiro set. Bolas fáceis passaram a cair, e a recepção, a falhar. A passagem de Grobelna pelo serviço colocou a Bélgica em vantagem (8/6). Dani usou pouco suas centrais. Natália e Monique encontraram dificuldade nas viradas. O bloqueio não funcionava (20/15). Um rali definido por Gabi colocou Natália no saque. Um ace pôs pressão do outro lado. O empate chegou com uma pancada de Gabi (20/20). Recepção errada das brasileiras e bloqueio simples para cima de Gabi deram nova vantagem às europeias (23/20). A nova e definitiva virada das atuais campeãs veio com Carol no saque. Ao forçar, quebrou o passe belga. Apático no jogo até então, o bloqueio brasileiro fechou a porta às europeias por duas vezes seguidas, garantindo a vitória e a manutenção da liderança do Grand Prix (25/23).

Escalação
Brasil: Dani Lins, Juciely, Carol, Gabi, Natália e Monique. Líbero: Sassá

Foto: Divulgação / FIVB

 

Crédito: http://globoesporte.globo.com/volei/noticia/2015/07/brasil-sofre-susto-no-3-set-mas-bate-belgica-e-leva-8-vitoria-seguida-no-gp.html

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat