• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Brasil reage no tie-break e derrota a Rússia na estreia na fase final do GP

Digiqole ad

A seleção brasileira feminina de vôlei iniciou com uma vitória suada e sensacional a reta final rumo ao seu oitavo título do Grand Prix. Pela primeira rodada da fase final da competição, que será toda disputada em Tóquio, as campeãs olímpicas venceram a sempre duríssima seleção russa, por três sets a dois, com parciais de 25/20, 22/25, 25/17, 24/26 e 16/14, em 1h54m de jogo, na madrugada desta quarta-feira (no horário de Brasília). Demonstrando maturidade, as brasileiras salvaram dois match points para as adversárias. A maior pontuadora brasileira foi Sheilla, com 28. Na preliminar, a Holanda derrotou a China, por três sets a dois (18/25, 25/22, 25/22, 24/26 e 15/13).

Na madrugada desta quinta-feira, a seleção brasileira, ainda invicta na competição, agora com dez vitórias, volta à quadra para enfrentar a China, pela segunda rodada da fase final. A partida começará às 3h30m, no horário de Brasília, e terá transmissão ao vivo da Rede Globo.

O Brasil começou o jogo concentrado e abriu logo 5 a 1. Mas as altas russas começaram a dificultar os ataques brasileiros e conseguiram encostar no placar (5 a 7). Porém, a seleção brasileira foi para a primeira parada técnica com vantagem de 8 a 5 após erro das adversárias.

Na volta à quadra, as campeãs olímpicas voltaram a dominar as ações da partida e foram a 12 a 7. Com bons ataques de Fabiana e Natalia, o Brasil ampliou sua vantagem no marcador e foi para a segunda parada com 16 a 10. Na volta, em saque de Sheilla, a equipe do Brasil fez o seu 17º ponto e manteve o ritmo sem deixar as russas encostarem no marcador. E numa bela cortada em diagonal de Natalia, o Brasil fechou o primeiro set: 25 a 20.

Com Gamova, de 2m04 de altura, mais inspirada, a seleção da Rússia voltou melhor para o segundo set e deixou o jogo mais equilibrado no início. Nenhuma equipe conseguiu escapar dois pontos na frente até a primeira parada do set, quando as brasileiras saíram de quadra em vantagem: 8 a 7.O equilíbrio se manteve na volta dos times, e com uma largada da levantadora Maria Zhadan a Rússia passou à frente com 9 a 8, mas logo o Brasil retomou a vantagem e conseguiu abrir dois pontos em bloqueio de Sheila: 11 a 9.

A partida era de tensão e atenção máximas, qualquer hesitação não era perdoada. As brasileiras deram algumas vaciladas e as russas se aproveitaram para abrir dois pontos (14 a 12), o que fez o técnico José Roberto Guimarães pedir tempo. Deu resultado, a princípio, pois o Brasil empatou em 14 a 14, mas logo a seguir as rivais retomaram sua vantagem e foram para a segunda parada com 16 a 14.

No retorno, a seleção russa conseguiu abrir três pontos, em 17 a 14. O Brasil fez o 15º ponto e Zé Roberto pôs Joycinha e Ana Tiemi em quadra nos lugares de Sheilla e Dani Lins. As brasileiras encostaram em um ponto (16 a 17), no entanto, o passe brasileiro começou a dificultar o ataque, e as russas ampliaram para 19 a 16 e depois 21 a 18. As brasileiras reagiram e com um bloqueio de Sassá encostaram em 21 a 20, obrigando o técnico russo Vladimir Kuzyutkin a pedir tempo. Na volta, Mari errou o saque e em seguida as russas fizeram mais um ponto: 23 a 20. O Brasil lutava muito para não entregar o set, mas a Rússia conseguiu empatar o jogo, vencendo a segunda parcial por 25 a 22.

A seleção brasileira começou bem melhor o terceiro set, abriu 4 a 1 e manteve os três pontos de vantagem até ampliar para quatro e ir para a parada técnica com 8 a 4. As russas esboçaram uma reação na volta à quadra, mas as campeãs olímpicas pareciam não estar dispostas a dar chance às adversárias e logo ampliaram para 11 a 6. Posteriormente o time brasileiro foi a 14 a 9 e foi para a segunda parada com 16 a 10.

O Brasil jogava com tranquilidade e foi aos poucos consolidando a vitória no terceiro set, aumentando a diferença a seu favor no placar, que chegou a ser de oito pontos: 18 a 10. Novamente Joyce e Ana Tiemi entraram e desta vez mantiveram o ritmo brasileiro. Quando saíram para as voltas de Sheilla e Dani Lins o placar era de 23 a 15. Com uma cortada de Mari da saída de rede em diagonal o Brasil fez o 24º ponto, e com um bloqueio fechou o set com 25 a 17.

As brasileiras voltaram para a quadra dispostas a acabar com o jogo no quarto set e conseguiram fazer quatro pontos seguidos. Com jogadas rápidas que impediam que o altíssimo bloqueio russo chegasse a tempo, o Brasil fez 5 a 1 e depois 6 a 3. Mas as russas não se entregavam e conseguiram encostar em 5 a 6, mas na primeira parada técnica as brasileiras venciam por 8 a 5.

Na volta, as russas voltaram a incomodar, mas o time brasileiro conseguia impedir o empate, até que após muitos erros acabou permitindo a virada (11 a 13). O time russo passou então a dominar as ações e foi para a segunda parada com 16 a 13 a seu favor. A Rússia se superava para empatar o jogo e levá-lo para o tie-break. Quando perdia por 19 a 14, Zé Roberto pediu tempo para tentar acertar o time e fazê-lo reagir.

O Brasil fez o 15º ponto, e novamente Joyce e Ana Tiemi voltaram à quadra. Veio o 16º ponto e aí foi a vez do técnico russo pedir tempo. A seleção brasileira voltou a errar muito, as rivais abriram para 22 a 17, e aí Sheilla e Dani Lins voltaram à quadra. Dois ataques de fundo de quadra e um saque perfeito de Natalia e três bloqueios de Fabiana em Gamova repuseram as brasileiras na partida, com uma virada num momento importantíssimo: 23 a 22.

As russas empataram e, num erro de Dani Lins, passaram à frente. Mas Mari pôs tudo igual em 24. No entanto, o quarto set foi mesmo da Rússia, que fechou com um bloqueio em cima de Sheilla, e a partida foi para o tie-break: 26 a 24.

O quinto set começou com o Brasil na frente, mas a Rússia conseguiu virar com um bloqueio para 4 a 3, depois de estarem em desvantagem em 1 a 3. As russas mantiveram a frente no marcador, mas os ataques de fundo de quadra com Natalia e Sheilla davam esperança ao Brasil. Porém, foi numa jogada dessas que a Rússia foi para a primeira parada técnica com 8 a 6 a seu favor.

Na volta, Mari fez o sétimo ponto e fez o time vibrar. Sheilla fez o nono ponto numa dividida na rede e Mari fez o ponto da virada: 9 a 8. O treinador russo pediu tempo e na volta uma bola de segunda de Sheshenina igualou o placar. Um erro de Fabiana no ataque deu às russas a vantagem no marcador novamente (10 a 9), mas ela se recuperou e o jogo ficou empatado novamente.

Em dois ataques as russas abriram dois pontos: 12 a 10. O Brasil tentava empatar e virar o jogo nos momentos finais, mas as adversárias não permitiam e foram a 14 a 12 no seu primeiro match point. Natalia fez o 13º ponto do Brasil e Joyce e Ana Tiemi voltaram à quadra.

Depois de uma recepção errada das russas após saque de Thaisa, Mari empatou o jogo: 14 a 14. E na volta do tempo pedido pelo técnico russo, Thaisa brilhou com dois bloqueios, fez o 15º e o 16º pontos e saiu vibrando com as companheiras para comemorar a difícil e espetacular vitória do Brasil.

Times

BRASIL – Dani Lins, Fabiana, Thaisa, Mari, Natalia e Sheilla. Líbero: Fabi. Entraram: Sassá, Joyce, Ana Tiemi e Carol Gattaz, Regiane

RÚSSIA – Maria Zhadan, Maria Borodakova, Anna Makarova, Elena Murtazaeva, Ekaterina Gamova e Tatiana Kosheleva. Líbero: Ekaterina Kabeshova. Entraram: Natalya Safronova, Maria Sheshenina, Olga Fateeva, Anna Makarova, Yulia Sedova e Ekaterina Starodubova.

 

Crédito: Globo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat