• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Brasil oscila muito e é derrotado pelo Irã pela segunda vez na Liga Mundial

 Brasil oscila muito e é derrotado pelo Irã pela segunda vez na Liga Mundial
Digiqole ad

Na última semana, a seleção brasileira de vôlei sofreu uma derrota inédita para o Irã, em pleno Ibirapuera. Frustrado, Bernardinho pediu desculpas aos torcedores e prometeu muito trabalho para mudar esse panorama. Mas a bronca parece não ter surtido efeito. Nesta sexta-feira, dessa vez em Teerã, o Brasil teve muitos altos e baixos e acabou derrotado novamente, por 3 sets a 2, parciais de 25/18, 25/27, 25/20, 17/25 e 9/15, chegando à sua quinta derrota em sete jogos disputados na Liga Mundial 2014.

Com o resultado, o Brasil chegou aos seis pontos (duas vitórias e sete derrotas) e caiu para a terceira colocação do Grupo A. A Itália lidera, com 18 (seis vitórias e nenhuma derrota), e o Irã está em segundo, com seis pontos (duas vitórias e três derrotas), mas dois jogos a menos que o Brasil. A Polônia é a lanterna, com apenas três pontos somados (uma vitória e três derrotas).

Mahmoudi foi o maior pontuador da partida com 24 pontos, seguido por Mirzajanpour, com 17. Entre os brasileiros, destaque para Lucão, o mais regular do time, com 15. Brasil e Irã voltam a se enfrentar no domingo, às 13h30, mais uma vez em Teerã. O SporTV transmite ao vivo, e o GloboEsporte.com acompanha em Tempo Real.

O JOGO
A seleção que entrou em quadra não lembrava nem de perto aquela que perdeu de 3 a 0 em São Paulo. Concentrado, o time errou pouco desde o começo, só vacilando em alguns saques para fora. Bruninho abusava das jogadas de meio, sempre com Lucão atento para virar: 12 a 9. Nas laterais, Wallace aparecia para o jogo, afundando a defesa iraniana que subia no bloqueio duplo: 16 a 12. Murilo também surgiu bem, mostrando toda a sua experiência. Ele marcou no bloqueio simples e em seguida explorou a defesa dos rivais para pontuar novamente: 23 a 18. O set point veio em um erro do Irã, que atacou para fora. E Leandro Vissotto fechou a conta do primeiro set com um bloqueio solitário, mas eficiente: 25 a 18.

Só que o Brasil voltou a oscilar. E agora já não lembrava mais a equipe do primeiro set. Na volta, Mahmoudi e Seyed ditaram o ritmo para empatar o jogo. O camisa 1 infernizou a vida da defesa verde e amarela. Pelas laterais ou no bloqueio, Mahmoudi foi abrindo vantagem para o Irã. Após ace de Ghaemi, Mirzajanpour virou mais uma bola para fazer 13 a 9 e comemorar muito. A boa atuação em quadra incendiava a torcida iraniana nas arquibancadas. A seleção ainda contou com a ajuda da arbitragem, após marcar uma bola fora em bloqueio do Irã que foi dentro.

Melhor em quadra, o Irã ainda contava com a sorte. O saque de Tashakori bateu na rede e caiu. Lucarelli respondeu com ace, e os donos da casa pararam o jogo. O tempo pedido adiantou. Ghaemi deu uma largadinha e saiu rindo. Do outro lado, Murilo errava o saque. Foi a vez de Bernardinho parar a partida após ataque ruim de Lucarelli: 21 a 23. Wallace salvou o primeiro set point, e o Brasil se aproveitou com mais um erro do árbitro. O ataque do Irã bateu em Murilo e foi para fora. Mas a arbitragem deu ponto para os brasileiros, alegando que não havia tocado em ninguém: 24 a 24. Mas de nada adiantou. Seyed e Marouf decidiram após erro do Brasil: 27 a 25.

Altos e baixos. E era a vez do alto. Bruninho voltou a trabalhar as bolas de meio com os centrais, e o Brasil dominou todo o terceiro set. Sidão e Lucão viravam todos os ataques. Nas pontas, Wallace afundava na diagonal e na paralela. O líbero Alizadeh deixou a quadra com fortes dores nos dedos da mão após ataque forte de Lucão. Depois de muitas broncas de Bernardinho e poucos erros, o Brasil caminhou tranquilo para fechar o set. Murilo, de bloqueio, fez 24 a 18. Ghafour até salvou o primeiro set point, e Vissotto errou para o Irã chegar mais perto: 24 a 20. Mas ele mesmo consertou o erro e atacou para fazer 2 a 1: 25 a 20.

A fase ruim do time de Bernardinho voltou com força no quarto set. Foram dois blocos de erros: um no início do set, com falhas pontuais de Wallace, Sidão e Lucarelli, que permitiram que os iranianos abrissem seis pontos. O Brasil ensaiou um início de reação ao diminuir a diferença para quatro pontos (18 a 14), mas outro bloco de falhas seguidas – saque de Lucão para fora, Vissotto e Lipe encaixotados no bloqueio iraniano – fez a distância se dilatar e chegar aos oito pontos: 22 a 14. Ficou difícil reagir, e os donos da casa finalizaram a parcial em 25 a 17.

Com uma torcida fanática embalando os iranianos, eles não deram chances ao Brasil no tie-break. Tomaram a dianteira logo de cara e foram abrindo a distância. Era um erro atrás do outro pelo lado brasileiro. Mahmoudi virava todas as bolas, e Mario Jr. não acertava na redecpão: 6 a 2. Até o levantador Marouf atacou para fazer 7 a 2. Bernardinho se irritava na beira da quadra, mas de nada adiantava. Além das falhas na defesa, o Brasil ainda errava no saque, com Lucão, e fazia golpe de vista errado, com Lucarelli. E os dois últimos pontos que decretaram mais uma derrota brasileira saíram em outros dois erros. Vissotto pisou na linha quando foi sacar, e Lucarelli tentou desviar de uma bola que ia para fora, mas não saiu a tempo. Fim de jogo com 15 a 9 no quinto set, para a festa começar em Teerã.

 

Crédito: Globo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat