• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Brasil mostra evolução, passa pelo Irã e respira na Liga Mundial

 Brasil mostra evolução, passa pelo  Irã e respira na Liga Mundial
Digiqole ad

Os iranianos percebiam que o Brasil que estava do outro lado da rede não parecia ser o mesmo da últimas duas partidas. Mostrava um bloqueio eficiente, um passe melhor e um bom nível de concentração. Tinha pressa e precisava arrancar uma vitória em Teerã. Abriu 2 sets a 0 e ficou perto de alcançar o objetivo, não fossem os erros no fim da terceira parcial. Naquele momento o Irã subiu de produção e provocou o tie-break, mas desta vez não levou a melhor. Neste domingo, a seleção venceu por 3 a 2 (parciais de 25/19, 25/16, 23/25, 23/25 e 15/10) e respirou na Liga Mundial.

Com o resultado, o Brasil tem agora três triunfos em oito partidas disputadas e ainda mantém as chances de classificação para a fase final da competição. Aparece em terceiro lugar na tabela do Grupo A, com oito pontos. A Itália segue na ponta com 19, seguida da Polônia, que também tem soma oito, mas melhor saldo de sets. O Irã está em quarto (sete pontos), com dois jogos a menos. A equipe comandada por Bernardinho volta à quadra na próxima sexta-feira, contra os poloneses.

No confronto deste domingo, Mahmoudi foi o maior pontuador: 25 acertos. O ponteiro Lucarelli e o oposto Wallace foram responsáveis por 21 pontos cada. O central Lucão também teve boa atuação, anotando 15.

O jogo
Os donos da casa mostravam confiança. Com tranquilidade, iam se distanciando (6/3). Do lado brasileiro, a melhor arma era Lucarelli. Com dois saques de Sidão e dois ataques de Murilo veio a virada (8/7). O bloqueio iraniano marcava Wallace, mas Bruninho distribuía bem as jogadas e a seleção ia construindo uma vantagem confortável (20/15). As jogadas pelo meio com Lucão funcionavam, assim como o bloqueio. Sem muita resistência, o Brasil fazia 25/19.

O técnico Slobodan Kovac dava um puxão de orelhas em seus comandados. A equipe brasileira não deixava o ritmo cair, jogava com velocidade. O Irã acusava o golpe. Tinha dificuldades no passe e encontrava uma parede subindo à sua frente a cada ataque (17/9). As trocas eram feitas, mas de nada adiantavam. O sorriso tomava o rosto de Lucão após um ataque e contagiava os companheiros. A segunda parcial estava no bolso: 25/16.

Os anfitriões tentavam reagir. Aos poucos, foram encontrando brechas, tirando proveito das falhas da seleção e da queda de produção no ataque adversário para fazer 14/9. Bruninho e Wallace davam lugar a Rapha e Leandro Vissotto. Os iranianos ainda tinham dois pontos de frente. A inversão era desfeita, Bruninho voltava à quadra e chamava seus companheiros. Queriam fechar a partida no terceiro set. Comemoravam o empate (23/23) quando o time da casa fez a reclamação de um toque na rede e pediu o desafio. A imagem mostrava o topete de Murilo tocando a rede no momento do bloqueio. A equipe brasileira contestava a marcação, mas não houve papo. O Irã respirava: 25/23.

O bloqueio brasileiro mostrava menos eficiência do que nas outras parciais. Era a senha para que os rivais conseguissem manter o jogo equilibrado. Mahmoudi soltava o braço e fazia Bernardinho pedir tempo (16/13). Wallace e Lucão fizeram a equipe encostar no placar. A diferença seguia sendo de um ponto. Um saque de Lipe, seguido de um bloqueio simples de Sidão e lá estava o perseguido empate (18/18). Nova pancada de Lipe no serviço e Brasil tomava o comando do marcador. O Irã não se entregava. Mas via tie-break ficar mais longe depois de um ataque preciso de Vissotto e um erro ofensivo (22/20). Lucarelli desperdiçava o saque. O fim da partida ficava tenso. Os iranianos reclamavam mais uma vez, pediam a revisão do lance e se salvavam (22/22). Murilo atacava para fora, Mário Jr errava o passe e com Mirzajanpour a partida foi para o set desempate: 25/23.

Lá o Brasil tratava de abrir 7/4 e não tomava conhecimento dos adversários. Mais consistente e atento os visitantes estragaram a festa em Teerã: 15/10.

OS TIMES
Brasil – Bruninho, Wallace, Lucão, Sidão, Murilo, Lucarelli e Mário Jr. (líbero). Entraram: Lipe, Vissotto e Rapha. Técnico: Bernardinho.
Irã – Mahmoudi, Marouflakrani, Ghaemi, Mousavi, Mirzajanpour, Gholami e Alizadeh (líbero). Entraram: Ebadipour, Ghafour, Tashakori e Mobasheri. Técnico: Slobodan Kovac.

 

Crédito: Globo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat