• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Brasil joga mal, empata e terá que lutar até o fim por vaga

 Brasil joga mal, empata e terá que lutar até o fim por vaga
Digiqole ad

Parecia que o grupo do Brasil na primeira fase da Copa de 2014 era fácil. Mas o time de Luiz Felipe Scolari terá que lutar até o último jogo para avançar às oitavas de final.

Com uma atuação ruim, a seleção só empatou, nesta terça-feira, com o México, sem gols, na Arena Castelão, em Fortaleza. O resultado deixou as duas seleções empatadas no topo do Grupo A, com quatro pontos, sendo que o time nacional leva vantagem no saldo de gols.

Nesta quarta-feira, Croácia e Camarões, zerados na pontuação, se enfrentam. Se empatarem, o Brasil irá precisar de um ponto contra os africanos para avançar. Caso a Croácia ganhe, uma igualdade também serve. Em caso de triunfo camaronês, Neymar e companhia precisam vencer para não depender do outro resultado.

No site da CBF, os jogadores da seleção pediram que os torcedores cantassem o hino nacional abraçados, como eles. Pouca gente fez isso, mas o Castelão lotado repetiu o hino à capela que começou a ganhar fama justamente em Fortaleza, na conquista da Copa das Confederações do ano passado.

Em campo, Felipão não pode escalar Hulk, com dores na coxa esquerda. A escolha foi a mais esperada: Ramires, que na teoria deixava o time menos ofensivo.

Nos minutos iniciais, nada da forte pressão que o treinador brasileiro tanto gosta. O México, jogando de camisa vermelha no lugar da tradicional verde, ficava mais com a bola, e levava ao delírio seus estimados 10 mil torcedores no Castelão, que ensaiavam até música provocando Neymar.

Aos 11min, a primeira polêmica. Pela esquerda, Oscar cruzou para Fred, que chutou para fora, na rede, dando impressão que havia marcado. Mas o atacante estava claramente impedido. O auxiliar até ameaçou correr para o meio-campo, validando o gol que nem existiu, mas o juiz turco Cuneyt Cakir acertadamente anulou o lance.

Depois disso o Brasil retomou as rédeas do jogo, quase sempre pelo lado esquerdo, com Oscar mais uma vez inspirado e com ajuda de Marcelo, que chegava fácil na linha de fundo. Mas o jogo era truncado, e chegou na metade do primeiro tempo sem chances de gol.

O México então resolveu arriscar de longe. Aos 24min, Herrera avançou pela direita. Chutou forte para defesa espetacular de Júlio César, que o juiz não viu: marcou tiro de meta no lugar do escanteio.

Os visitantes se empolgaram e quase pagaram caro por isso dois minutos depois, quando deram chance para contra-ataque que acabou em cabeçada de Neymar, aos 26min, que exigiu grande defesa de Ochoa.

O Brasil sentia falta de Hulk. Ramires nem era notado no jogo. Daniel Alves, de novo, sofria para marcar na lateral direita, e ainda apela às faltas. O México costurava bem as jogadas, e, depois de bela troca de passes, Vázquez, aos 41min, por pouco não abre o placar em outro chute de fora da área.

Restava para os comandados a bola parada. Aos 44min, a melhor chance do Brasil. Neymar bateu falta, Thiago Silva ajeitou com o peito e deixou Paulinho livre para marcar, mas o ex-corintiano chutou em cima de Ochoa.

Antes do primeiro tempo acabar, Ramires teve tempo de receber o único cartão amarelo da etapa e ficar pendurado: dois amarelos suspendem o jogador na Copa.

“Amarelo” e jogando nada, Ramires não voltou para o segundo tempo na calorenta Fortaleza. No seu lugar, Bernard, que agora deixava a seleção mais ofensiva em relação à formação com Hulk como titular.

Com três minutos em campo, Bernard fez mais do que Ramires no ataque, com uma bela arrancada pela direita e cruzamento afastado para escanteio pelos mexicanos.

Mas novamente o México assutava, insistindo nos chutes de longe, como aos 10min, com Vázquez, em arremate que passou muito perto da trave de Júlio César. O Brasil se encolhia, e aos 12min foi a vez de Herrera quase marcar.

Felipão quebrava a cabeça para mudar o panorama da partida. E resolveu mudar de novo, tirando de campo o artilheiro da Copa das Confederações. Aos 23min, Fred, que segue sem marcar na Copa, deu lugar a Jô.

O jogo começou a ferver. David Luiz tentou a vida de ponta esquerda. O Brasil passou a pressionar, mas esbarraja em Uchoa e no nervosismo.

Já aparentando cansaço, o Mèxico só fez a primeira troca perto dos 29min, com a entrada de seu jogador mais famoso. Chicharito Hernández, do Manchester United, entrou na vaga de Peralta, adorado pela torcida de seu país mas que pouco fez em campo.

A partida virou um drama. Aos 41min, Thiago Silva fez Ocho fazer um milagre em cabeçada a queima roupa.

A seleção viaja para Teresópolis, sua base na Copa, ainda na noite desta terça-feira. No sábado, novo deslocamento, para Brasília, palco do último jogo da primeira fase, no dia 23, contra Camarões. No mesmo dia, o México pega a Croácia.

FICHA TÉCNICA:
BRASIL 0 X 0 MÉXICO

Local: Castelão, em Forteleza (CE)
Data: segunda-feira, 17 de junho de 2014
Horário: 16h (de Brasília)
Público: 60.342
Árbitro: Cuneyt Cakir (TUR)
Assistentes: Bahattin Duran e Tarik Ongun (ambos TUR)
Gols: do segundo tempo
Cartões amarelos: Ramires, Thiago Silva (BRA); Agullar, Vázques (MEX)

BRASIL: Júlio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho, Ramires (Bernard) e Oscar (Willian); Fred (Jô) e Neymar
Técnico: Luiz Felipe Scolari

MÉXICO: Ochoa; Agullar, Rodriguez, Rafa Márquez, Moreno e Layun; Herrera (Fabian), Vázquez e Guardado; Giovani dos Santos (Jiménez) e Peralta (Chicharito Hernández)
Técnico: Miguel Herrera

 

Crédito: ESPN

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat