• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Brasil cochila no início, mas atropela a Argentina e conquista a Copa América

Digiqole ad

No início da partida deste domingo, parecia que a seleção feminina já estava satisfeita com a classificação para o Mundial e não fazia questão do título da Copa América. Era só uma impressão. A partir do segundo quarto, a equipe de Paulo Bassul partiu para cima da Argentina, abriu vantagem e colocou um ponto de exclamação na campanha em Cuiabá. A vitória por 71 a 48 coloca na bagagem – ao lado do passaporte para a República Tcheca – a taça do continente.

A terceira vaga para o Mundial ficou com o Canadá, que arrancou uma vitória dramática sobre Cuba na disputa do bronze. As canadenses venceram na prorrogação por 59 a 49 e vão se juntar a brasileiras e argentinas no torneio que será disputado em setembro de 2010.

Desta vez, a surpresa verde-amarela saiu do banco. A pivô Silvia anotou 18 pontos, quatro rebotes e três roubos. A companheira de garrafão Alessandra também fez bonito embaixo da cesta, compensando seus sete desperdícios com 12 pontos e 16 rebotes. Helen, que tinha brilhado na semifinal contra Cuba, ficou zerada até a metade do quarto período e deixou a quadra com cinco pontos. A torcida nem ligou: era dia de festa no ginásio Aecim Tocantins.

– O Paulo Bassul foi muito feliz quando disse que cada jogo seria o jogo de alguém diferente. O mais importante era que todo dia tinha que ser dia do Brasil – afirmou Silvia, pouco antes de dar um beijo no filho pequeno, que estava no ginásio.

Com o dever cumprido pela classificação ao Mundial, o Brasil entrou em quadra no domingo relaxado demais. As argentinas se aproveitaram disso e abriram 10 a 3 no placar. O que parecia apenas um começo instável se transformou num primeiro quarto para se esquecer. Nos 13 arremessos tentados no período, apenas um acerto. Resultado: derrota parcial por 13 a 7.

No segundo quarto, o panorama foi outro. O Brasil emplacou uma incrível sequência de 15 a 0 e não só virou o placar como abriu boa vantagem. Após sete minutos sem pontuar, a Argentina conseguiu se reencontrar e evitou um estrago maior. A equipe verde-amarela foi para o intervalo vencendo por 25 a 21.

Na volta do vestiário, o ataque brasileiro continuou inspirado. Com 25 pontos no terceiro período, contra apenas 14 das hermanas, as donas da casa ampliaram a vantagem no placar para 50 a 35. As argentinas até ameaçaram reagir no último período, mas já era tarde. Quando Paulo Bassul tirou Silvia a cinco minutos do fim, a pivô foi muito aplaudida pela torcida, que reconheceu seu esforço na decisão. Dali em diante, bastou controlar o jogo e festejar o título.

 

Crédito: Globo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat