• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.7828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Brasil bate último algoz e pode levar vaga na próxima rodada

Digiqole ad

Diante da única equipe que tinha vantagem sobre o Brasil na Era Dunga, a Seleção obteve a vingança na noite desta quarta-feira e deu mais um importante passo rumo à Copa do Mundo de 2010. Com mais uma demonstração de apoio da torcida pernambucana, que colocou mais de 55 mil fanáticos no Estádio do Arruda, a equipe venceu o Paraguai por 2 a 1, de virada, e pode garantir presença no Mundial da África do Sul já na próxima rodada.

Com a liderança mantida e os 27 pontos na classificação, o time verde e amarelo confirma uma das quatro vagas diretas caso supere a Argentina no início de setembro, em Buenos Aires, e conte com uma combinação de resultados. Para se garantir na Copa com três rodadas de antecedência, é necessário que o Equador seja derrotado pela Colômbia fora de casa e que o lanterna Peru vença o Uruguai na condição de mandante.

Praticamente confirmado no próximo Mundial, o que garante os 100% nas edições realizadas, o time também afasta a fama de mau anfitrião e pela primeira vez vence três jogos de forma consecutiva no atual torneio. De quebra, se vinga da derrota do primeiro turno (2 a 0, em Assunção), única nesta Eliminatória. Com o tropeço que conheceu em junho do ano passado, o Paraguai sustentava a fama de ser a única equipe com desempenho favorável na gestão Dunga. Os outros três times que venceram o Brasil (México, Portugal e Venezuela), já haviam sido batidos anteriormente.

Animada pelos mais de 55 mil torcedores que compareceram ao Arruda e demonstraram apoio durante toda a passagem da delegação pelo Recife, a Seleção esboçou uma pressão no início e criou duas chances em menos de 1min. No entanto, quem inaugurou o placar foi um velho conhecido da torcida nacional. Carrasco de Santos e Flamengo, Cabañas, que já havia balançado as redes em Assunção, bateu falta de longe e contou com o desvio de Elano para vencer Júlio César depois de dois jogos sem ser vazado.

A reação mandante demorou para vir, mas saiu ainda no primeiro tempo. Aos 40min, Daniel Alves levantou a bola na área e encontrou Robinho livre no segunda trave. De primeira, o jogador do Manchester City bateu com a perna esquerda e soltou o grito de gol da torcida pernambucana. Já na etapa final, logo aos 4min, Nilmar recebeu ótimo passe de Felipe Melo, tentou o toque de peito e parou na marcação rival. Na sobra, foi mais rápido e tocou para as redes.

FICHA TÉCNICA

Brasil 2 x 1 Paraguai

Gols
Brasil: Robinho, aos 40min do 1º tempo, e Nilmar, aos 4min do 2º tempo
Paraguai: Salvador Cabanãs, aos 25min do 1º tempo

Pontos Fortes do Brasil
– Reação mostrada ainda no primeiro tempo, quando chegou ao empate com Robinho e evitou a pressão de iniciar os últimos 45 minutos em desvantagem no placar;
– Atuação na etapa final da partida, período em que conseguiu a virada e administrou bem a vantagem sem correr riscos;
– Descidas de Daniel Alves pelo lado direito do campo, se tornando a principal alternativa de ataque com Kaká e Robinho bem marcados

Pontos Fortes do Paraguai
– Marcação eficiente nos principais homens de armação do ataque brasileiro: Kaká e Robinho;
– Jogadas que passavam pelos pés de Cabañas, que confirmou a fama de carrasco brasileiro mais uma vez e deixou a sua marca contra Júlio César

Pontos Fracos do Brasil
– Dificuldade para sair da forte marcação paraguaia e criar chances de gol. Com Kaká e Robinho bem marcados, a equipe sentiu a ausência da presença de área de Luis Fabiano, já que mudou o esquema de atuar com a entrada de Nilmar;
– Excesso de passes errados no meio-campo, falhas de que interrompiam os ataques e deixava o Paraguai controlar ainda mais a partida;
– Nova atuação segura da zaga brasileira, principalmente de Lúcio e Juan, que chegaria ao terceiro jogo seguido sem ser vazada se não fosse o gol marcado por Cabañas, em cobrança de falta

Ponto Fraco do Paraguai
– Fraco poder de reação após o gol sofrido no fim do primeiro tempo, mostrando atuação apática na etapa final do jogo

Personagem do jogo
Lúcio, do Brasil

Esquema Tático do Brasil
4-4-2
Júlio César; Daniel Alves, Lúcio, Juan e Kléber; Gilberto Silva, Felipe Melo, Elano (Ramires) e Kaká; Robinho (Kléberson) e Nilmar (Alexandre Pato); técnico: Dunga

Esquema Tático do Paraguai
3-5-2
Justo Villar; Dário Verón, Julio César Cáceres, Paulo Da Silva e Denis Caniza; Carlos Bonet (Edgar Benítez), Víctor Cáceres, Eduardo Ledesma (Sergio Aquino) e Cristian Riveros; Osvaldo Martínez (Dante Lopez) e Salvador Cabañas; técnico: Gerardo Martino

Cartões Amarelos
Brasil: Lúcio, Felipe Melo e Ramires
Paraguai: Julio César Cáceres e Víctor Cáceres

Árbitro
Óscar Ruiz (COL)

Local
Estádio do Arruda, no Recife (PE)

 

Crédito: Terra

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat