• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Brasil atropela o Panamá, avança invicto e já começa a ver o Mundial de perto

Digiqole ad

Em apenas uma semana, o caminho para o Campeonato Mundial ficou muito mais curto. O Brasil bateu o Panamá neste domingo por 84 a 64, fechou a primeira fase da Copa América, em San Juan, de forma invicta e garantiu um conforto bastante razoável para a segunda etapa da competição. Como os pontos continuam valendo, a seleção de Moncho Monsalve larga na frente na corrida para chegar às semifinais e, por consequência, carimbar seu passaporte para a Turquia.

O panamenho Pinnock foi o cestinha da partida, com 24 pontos. Pelo Brasil, Leandrinho anotou 17. A equipe verde-amarela folga na segunda e volta à quadra na terça, às 19h30m (de Brasília), para enfrentar o time do México. Na próxima fase, as seleções de um grupo enfrentam as de outro. As quatro melhores avançam para as semis e garantem as vagas no Mundial.

– Estamos ganhando, mas ainda temos enorme capacidade de melhorar – disse Tiago Splitter.

O Brasil começou a partida tranquilo, trabalhando a bola e insistindo na troca de passes até alguém aparecer livre para chutar. A má notícia, no entanto, surgiu com menos de três minutos de jogo, quando Tiago Splitter cometeu sua segunda falta. Moncho optou por deixar o pivô em quadra, correndo o risco de pendurá-lo nas infrações logo no primeiro período. Não foi o que aconteceu. Ao contrário, Tiago protagonizou o lance mais espetacular do quarto, uma socada impiedosa por cima da marcação panamenha a três minutos do fim. A primeira parcial foi do Brasil, mas o placar não era elástico: 23 a 17.

Veio o segundo quarto e a qualidade da equipe verde-amarela começou a aparecer. A vantagem logo pulou para 11 pontos. Foi aí que aconteceu um lance para mudar o tom da partida. Leandrinho passou a bola por trás das costas e tentou driblar Pinnock, mas o panamenho conseguiu a roubada e ligou o contra-ataque. O êxito na marcação acordou o ala, que acertou duas cestas seguidas de três. Alex ainda conseguiu abrir nove pontos com um tiro de três a 15 segundos do intervalo, mas Pinnock respondeu à altura, no estouro do cronômetro, cortando a vantagem brasileira para 42 a 36.

Na volta para o segundo tempo, o Brasil aos poucos foi impondo seu ritmo. Pinnock atacava de um lado, Leandrinho respondia do outro, mas o Brasil tinha mais cartas para colocar na mesa. Anderson e Guilherme fizeram a diferença pular para 19 pontos. Moncho começou a rodar o time e mandou à quadra reservas como Diego e JP Batista. Nem assim o ritmo caiu. Ao fim do terceiro quarto, o placar era de 70 a 50.

No último quarto, bastou deixar o relógio correr. A defesa mais uma vez cumpriu a meta estabelecida por Moncho, de não sofrer mais de 70 pontos. O técnico garante que, enquanto os rivais não baterem esta marca, não ganharão do Brasil. Por enquanto, a tese está 100% comprovada.

– Nós sabíamos que poderia ser difícil se nós deixássemos que fosse difícil – disse Alex Garcia.

 

Crédito: Globo

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat