• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.2828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Apostador que perdeu bilhete recebe prêmio da Mega Sena em Santa Cruz do Sul

 Apostador que perdeu bilhete recebe prêmio da Mega Sena em Santa Cruz do Sul
Digiqole ad

Uma corrente de honestidade se formou em Santa Cruz do Sul nas últimas semanas para devolver um bilhete premiado da Mega Sena a um apostador que havia perdido o comprovante. O valor não era milionário — somente R$ 696,93, correspondentes à quadra do concurso 1.616. Mas representava um mês de trabalho do mecânico José Sedenir Rodrigues, 49 anos, que atualmente faz um bico como segurança por não ter emprego na sua área.

Rodrigues só recebeu o valor ontem porque as pessoas envolvidas no caso primaram pela honestidade. A história começou em 11 de julho, uma sexta-feira. Às 16h, o mecânico aguardava na fila para pagar contas e fazer três apostas na Mega Sena. Era um dia movimentado na lotérica Trevo da Sorte. Pudera: no dia seguinte seria sorteado um prêmio acumulado de R$ 25 milhões.

Às 16h05min, Rodrigues pagou as contas e fez os jogos. No entanto, na hora de deixar o caixa, esqueceu em cima do balcão os bilhetes das três apostas, os volantes marcados e o canhoto do pagamento da conta de telefone, e derrubou tudo no chão com o braço ao se virar para sair. Uma mulher que estava atrás do mecânico na fila recolheu os papéis do chão e entregou à pessoa que estava no caixa. Dali, a papelada seguiu para o setor de achados e perdidos da lotérica.

Passado o sorteio da Caixa Econômica Federal, o proprietário da lotérica, Taiguara Otes, foi verificar o que havia nos achados e perdidos. Então encontrou o material esquecido pelo mecânico e confirmou que o bilhete era premiado.

— Não confirmei o bilhete no sistema porque não era nosso. Definimos então a missão de achar o homem. Tínhamos o nome dele no canhoto da conta do telefone, e começamos uma campanha interna — explica Otes.

Cartazes foram espalhados pela lotérica com as características de Rodrigues: usava camisa amarela e boina. O dono do estabelecimento preferiu não citar o nome do ganhador para preservá-lo. A campanha foi replicada no Facebook, onde há um perfil de Rodrigues — quase nunca acessado por ele.

A campanha não deu certo, mas a essa altura rádios e jornais da região já sabiam que havia um bilhete premiado perdido. Algumas pessoas foram à lotérica dizendo serem donos do bilhete, porém Otes e os funcionários sabiam o nome do verdadeiro ganhador. Também estavam acostumados às tentativas de falcatrua. Em 11 anos no ramo, Otes já testemunhou gente tentando receber prêmio com bilhete que prescreveu, golpes de lavagem de dinheiro e outros.

— Mas nunca tinha visto bilhete premiado sem dono — completa.

A história se espalhou e um dia chegou aos ouvidos de amigos de Rodrigues. Eles contataram o mecânico, que mora na periferia da cidade e estava resignado:

— Perdi o bilhete, mas nunca ganhei, mesmo.

Na quinta-feira, Rodrigues foi até a lotérica. Em vez de procurar algum funcionário, entrou na fila. Otes, que estava por ali, reconheceu o homem — havia assistido algumas vezes às imagens das câmeras de segurança, que mostram o mecânico deixando a papelada cair no chão. Chamou-o.

— O senhor é o José?

— Sim.

Convidou-o a entrar em uma sala. Então, Otes disse que estava com o bilhete premiado perdido.

— Olha, eu perdi, mas eu não sei se esse bilhete é o meu — afirmou Rodrigues.

O dono da lotérica teve de mostrar as imagens para o mecânico para provar que o bilhete era mesmo dele. Rodrigues concordou:

— Agora sim eu acredito.

Pai de seis filhos, Rodrigues já tem planos para o valor da Mega Sena. Vai pagar contas, “como sempre”. Só que o dinheiro não é o mais importante.

— O que mais considero é a atitude do pessoal da lotérica. É um ato muito nobre, uma situação que eu jamais imaginava que aconteceria: eles podiam ter pego o dinheiro e nunca ninguém ia saber. Isso é impagável. Serve como um exemplo para a humanidade um ato tão raro assim.

Em Porto Alegre, apostador ainda não sacou os R$ 29,2 milhões

O ganhador do concurso 1.621 da Mega Sena ainda não retirou o seu prêmio de R$ 29,2 milhões em Porto Alegre. O jogo foi feito na lotérica Minilu, no bairro Navegantes (Zona Norte), e o sorteio ocorreu em 30 de julho.

 

Crédito: ClicRBS

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat