• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.7828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Alerta: Polícia Civil ministrou palestra sobre drogas na Escola Bernardina Padilha

Digiqole ad

Dentro das comemorações alusivas ao Dia do Estudante que transcorreu na última quinta-feira, dia 11 e na presença da diretora Laurena Guerra Damiani, da supervisora Marjane Araldi, da psicóloga Enesita Pacheco e de autoridades locais, foi realizada no auditório da Escola Técnica Estadual Bernardina Rodrigues Padilha a cerimônia de abertura da palestra “A Importância da Prevenção às drogas e as Atribuições da Polícia Civil”, cujo evento foi prestigiado também por alunos e professores daquele educandário.

Em todo Brasil, no dia 11 de agosto, comemora-se o Dia do Estudante e no sentido de comemorar esta data, diferentes grupos de jovens se reúnem nos mais diversos espaços e marcam presença para que possam refletir sobre este dia que objetiva oportunizar que os jovens se preparem para viver com maior envolvimento nesta data.

Este ano, o Dia do Estudante na Escola Bernardina foi organizado pela direção e professores, contando com a presença do diretor da Guarda Municipal major Gilmar Vieira, da professora Elaine Mendes e de seu marido pastor Mendes, da advogada Débora Pinter Moreira, e do chefe do Serviço de Inteligência da 25ª Região Policial, inspetor de Polícia João Carlos Pinto de Abreu, o qual foi indicado pelo delegado de Polícia Regional João Estevam Mazine da Silva para ministrar a palestra representando a Polícia Civil.

Conforme informações do inspetor Abreu, o público presente surpreendeu demonstrando o interesse pelo assunto prevenção às drogas e as atribuições da Polícia Civil.

Iniciou-se o trabalho de exposição das drogas e seus malefícios, foi mostrado também imagens sobre as mutações físicas e psicológicas que ocorrem com usuários de drogas.

Foi destacado o importante trabalho feito pela Polícia Civil na Região e da união e respeito existente entre os órgãos da segurança pública.

No encerramento, a direção da escola prestou uma homenagem ao palestrante, entregando um cartão com uma mensagem de agradecimento a Polícia Civil e a entrega de um mimo, demonstrando a satisfação pelo trabalho realizado.

O inspetor Abreu ainda falou sobre as avassaladoras conseqüências do uso em médio e longo prazo, como por exemplo, as Físicas: Danos ao pulmão, associado a fortes dores no peito, bronquite e asma; aumento da temperatura corporal com risco de causar acidente vascular cerebral; destruição de células cerebrais e degeneração muscular, o que confere aquela aparência esquelética do usuário freqüente.

As Psicológicas: Fácil dependência após uso inicial. Grande desconforto durante abstinência gerando depressão, ansiedade e agressividade contra terceiros. Há diminuição marcante do interesse sexual. A necessidade do uso freqüente acarreta delitos, para obtenção de dinheiro, venda de bens pessoais e familiares, e até prostituição, tudo para sustentar o vício.

A promiscuidade leva à grave risco de se contrair AIDS e outras DSTs (doenças sexualmente transmissíveis). O usuário também apresenta com frequência atitudes bizarras devido ao aparecimento de paranóia (“nóia”), colocando em risco a própria vida e a dos outros e as Sociais: Abandono do trabalho, estudo ou qualquer outro interesse que não seja a droga.

Deterioração das relações familiares, com violência doméstica e freqüente
abandono do lar. Grande possibilidade de envolvimento com criminalidade.
A ruptura ou a fragilização das redes de relação social, familiar e de trabalho normalmente leva a aumento da estigmatização do usuário, agravando sua exclusão social. É comum que usuários de crack matem ou sejam mortos.

DISQUE-DENÚNCIA – Nº 181

COMBATA o CRIME, a OMISSÃO, a IMPUNIDADE e a VIOLÊNCIA.
DENUNCIE. ATENDIMENTO 24 HORAS.

Na foto da esquerda para a direita a supervisora da Escola Dina Padilha, professora Marjane Araldi, o inspetor de Polícia João Carlos de Abreu e a psicóloga Enesita Pacheco.

 

Crédito: Adelar Gonçalves/Rádio Esmeralda FM – 93,1

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat